Desculpem a sinceridade, a equipe macro-econômica é Inepta

Considerando que o objetivo de nosso país é maximizar a qualidade de vida de nossa comunidade, e que isto depende fundamentalmente da estratégia macro-econômica (câmbio, juros e déficit nominal) que define os incentivos para os principais agentes da economia (empresários e políticos), a equipe econômica que determina estas variáveis é, infelizmente, Inepta. Simples realidade e vou demonstrar neste texto.

Como pano de chão para esta lógica vou usar dois dos aprendizados de meu pai que vivem dentro de mim:

  • Certo é o que dá certo, não o que parece certo
  • Se o safado soubesse da vantagem de ser honesto, seria honesto por safadeza

A melhoria da qualidade de vida depende do poder de compra dos trabalhadores que depende do emprego. Não depende da inflação. Depende do poder de compra, ou seja, quantos produtos e serviços a renda do trabalhador consegue adquirir.

A geração de emprego depende dos empresários que fazem investimentos de acordo com a perspectiva de lucro. A perspectiva de lucro depende principalmente de câmbio e também de juros. O câmbio ajuda nas exportações e substituição de importações, ambas atividades geradoras de emprego adicional no país. Os juros reduzem os lucros inviabilizando alguns negócios.

Os juros também causam déficit nominal que está relacionado com a perspectiva de  “lucro” do governo. O déficit gerado pelo governo suga a capacidade de produtividade de uma economia principalmente se o déficit for causado por custeio que não tem impacto futuro positivo na renda. Quando o déficit é causado por investimentos (a la Keynes), não há problema porque haverá receita futura na economia para cobrir os gastos feitos nos investimentos.

Conforme demonstramos neste blog, o câmbio de competitividade econômica internacional é de R$8,7, juros moderados precisam ser de 5% e o déficit nominal precisa ser de 2%. Estamos totalmente desalinhados nestas variáveis-chave e tendo esta depressão irresponsável.

A evidência empírica: perdas de R$2 trilhões em nossa economia, destruição de milhões de empregos e perdas de dezenas de milhares de vidas de brasileiros.  Violência se agravando. Caos social. Não está dando certo.

Gastam R$600B/ano com juros para combater inflação, R$60K/desempregado em país onde renda média é de R$24K/ano. 2,5 vezes a renda média de um trabalhador por desempregado para tentar diminuir a inflação em 20%. Isto se fizesse sentido econômico diminuir a inflação com esta estratégia rentista. O que é completamente contra a visão de laissez-faire e mão invisível de não distorcer preços de equilíbrio entre oferta e demanda. Desemprego (renda zero) é muito pior do que inflação. E grande parte do efeito da inflação já é compensado pela indexação de nossa economia na renda dos trabalhadores. Esta farsa precisa parar. A principal causa da depressão é o déficit causado pelos juros. A principal causa da falta de crescimento está no câmbio.

Todas as iniciativas positivas desta equipe estão focadas na micro-economia. Keynes, ao analisar e participar do contexto complicado de desemprego no período de 1915 a 1940 (Depressões e Guerras), basicamente criou o conceito de macroeconomia com a Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda (1936). O FED incorporou e tem como objetivo maximizar emprego. Nossa equipe tem como objetivo minimizar emprego para garantir inflação baixa. Tenta ajustar a economia pelo caminho da “deflação”, sem bom senso e desprezando a principal linha econômica de progresso do século passado.

Henrique Meirelles, Ilan Goldfajn, Carlos Hamilton e todos os membros do Copom são ineptos por qualquer regra. Não está dando certo e já tiveram tempo para aprender, se não conseguem aprender é porque são ineptos. Se são desonestos, tendo em vista a má governança do Copom e o interesse em pixulecos, mesmo assim são ineptos, pois se os safados soubessem da vantagem de ser honestos seriam honestos por safadeza. É muito melhor ganhar um pixuleco de um país crescendo 10% ao ano como a China, do que viver em uma sociedade se destruindo com criminalidade e desalento.

Não podemos ter Ineptos no comando da agenda Macro-Econômica que impacta diretamente na vida de todos os brasileiros. É Guerra Civil Macroeconômica. Precisamos usar nossas Instituições para derrubar democraticamente este governo!

Publicado por

Eduardo Giuliani

Edu é empresário nos setores de agronegócio, bioenergia, venture capital e imobiliário. Trabalhou como consultor pela McKinsey & Co. (1991-97) e investidor pela Advent International (1998-99). Iniciou estudos sobre crescimento econômico em 1994 com o Curso National Economic Strategies de Bruce R. Scott na Harvard Business School (Membro do U.S. Competitiveness Policy Council). Cursou System Dynamics no MIT (1994). Liderou trabalho de produtividade em Telecomunicações e Construção no McKinsey Global Institute (1997). Engenheiro de Produção pela Escola Politécnica da USP (1989). MBA pela Harvard Business School (1995). Tenente da Reserva do Exército (1985). Casado. Três filhos. Tri-atleta.

3 comentários em “Desculpem a sinceridade, a equipe macro-econômica é Inepta”

  1. Em poucos parágrafos, o sr. conseguiu explicar o que realmente está acontecendo. Nossa equipe econômica e não fazem a menor ideia do está fazendo e tão pouco querem saber o que passa na vida de milhares de brasileiros.

    Obrigado por compartilhar seu conhecimento

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s