Desculpem a sinceridade, a equipe macro-econômica é Inepta

Considerando que o objetivo de nosso país é maximizar a qualidade de vida de nossa comunidade, e que isto depende fundamentalmente da estratégia macro-econômica (câmbio, juros e déficit nominal) que define os incentivos para os principais agentes da economia (empresários e políticos), a equipe econômica que determina estas variáveis é, infelizmente, Inepta. Simples realidade e vou demonstrar neste texto.

Como pano de chão para esta lógica vou usar dois dos aprendizados de meu pai que vivem dentro de mim:

  • Certo é o que dá certo, não o que parece certo
  • Se o safado soubesse da vantagem de ser honesto, seria honesto por safadeza

A melhoria da qualidade de vida depende do poder de compra dos trabalhadores que depende do emprego. Não depende da inflação. Depende do poder de compra, ou seja, quantos produtos e serviços a renda do trabalhador consegue adquirir.

A geração de emprego depende dos empresários que fazem investimentos de acordo com a perspectiva de lucro. A perspectiva de lucro depende principalmente de câmbio e também de juros. O câmbio ajuda nas exportações e substituição de importações, ambas atividades geradoras de emprego adicional no país. Os juros reduzem os lucros inviabilizando alguns negócios.

Os juros também causam déficit nominal que está relacionado com a perspectiva de  “lucro” do governo. O déficit gerado pelo governo suga a capacidade de produtividade de uma economia principalmente se o déficit for causado por custeio que não tem impacto futuro positivo na renda. Quando o déficit é causado por investimentos (a la Keynes), não há problema porque haverá receita futura na economia para cobrir os gastos feitos nos investimentos.

Conforme demonstramos neste blog, o câmbio de competitividade econômica internacional é de R$8,7, juros moderados precisam ser de 5% e o déficit nominal precisa ser de 2%. Estamos totalmente desalinhados nestas variáveis-chave e tendo esta depressão irresponsável.

A evidência empírica: perdas de R$2 trilhões em nossa economia, destruição de milhões de empregos e perdas de dezenas de milhares de vidas de brasileiros.  Violência se agravando. Caos social. Não está dando certo.

Gastam R$600B/ano com juros para combater inflação, R$60K/desempregado em país onde renda média é de R$24K/ano. 2,5 vezes a renda média de um trabalhador por desempregado para tentar diminuir a inflação em 20%. Isto se fizesse sentido econômico diminuir a inflação com esta estratégia rentista. O que é completamente contra a visão de laissez-faire e mão invisível de não distorcer preços de equilíbrio entre oferta e demanda. Desemprego (renda zero) é muito pior do que inflação. E grande parte do efeito da inflação já é compensado pela indexação de nossa economia na renda dos trabalhadores. Esta farsa precisa parar. A principal causa da depressão é o déficit causado pelos juros. A principal causa da falta de crescimento está no câmbio.

Todas as iniciativas positivas desta equipe estão focadas na micro-economia. Keynes, ao analisar e participar do contexto complicado de desemprego no período de 1915 a 1940 (Depressões e Guerras), basicamente criou o conceito de macroeconomia com a Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda (1936). O FED incorporou e tem como objetivo maximizar emprego. Nossa equipe tem como objetivo minimizar emprego para garantir inflação baixa. Tenta ajustar a economia pelo caminho da “deflação”, sem bom senso e desprezando a principal linha econômica de progresso do século passado.

Henrique Meirelles, Ilan Goldfajn, Carlos Hamilton e todos os membros do Copom são ineptos por qualquer regra. Não está dando certo e já tiveram tempo para aprender, se não conseguem aprender é porque são ineptos. Se são desonestos, tendo em vista a má governança do Copom e o interesse em pixulecos, mesmo assim são ineptos, pois se os safados soubessem da vantagem de ser honestos seriam honestos por safadeza. É muito melhor ganhar um pixuleco de um país crescendo 10% ao ano como a China, do que viver em uma sociedade se destruindo com criminalidade e desalento.

Não podemos ter Ineptos no comando da agenda Macro-Econômica que impacta diretamente na vida de todos os brasileiros. É Guerra Civil Macroeconômica. Precisamos usar nossas Instituições para derrubar democraticamente este governo!

Publicado por

Eduardo Giuliani

Empresário nos setores de agronegócio, bioenergia, venture capital e imobiliário. Trabalhou como consultor pela McKinsey & Co. e investidor pela Advent International. Iniciou estudos sobre crescimento econômico em 1994 com o Curso National Economic Strategies de Bruce R. Scott na Harvard Business School (Membro do U. S. Competitiveness Policy Council). Cursou System Dynamics no MIT. Liderou trabalho de produtividade em Telecomunicações e Construção no McKinsey Global Institute. Engenheiro de Produção pela Escola Politécnica da USP. MBA pela Harvard Business School. Tenente da Reserva do Exército. Casado. Três filhos. Tri-atleta.

2 thoughts on “Desculpem a sinceridade, a equipe macro-econômica é Inepta”

  1. Em poucos parágrafos, o sr. conseguiu explicar o que realmente está acontecendo. Nossa equipe econômica e não fazem a menor ideia do está fazendo e tão pouco querem saber o que passa na vida de milhares de brasileiros.

    Obrigado por compartilhar seu conhecimento

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s