Bem-vindo!

O objetivo da Ciência Econômica é gerar riqueza com inclusão social. O conhecimento desenvolvido pela Humanidade demonstra que a gestão da alocação de recursos através de Planejamento (Capitalismo) e Meritocracia na definição de líderes públicos Democráticos* são a fórmula do sucesso.

De 2014 a 2016 destruímos R$3 trilhões. Temos um problema sério de gestão macro-econômica com desrespeito às melhores práticas internacionais desenvolvidas por Smith, Keynes e Friedman. Procuramos aqui divulgar conhecimento para o Brasil crescer 10% ao ano distribuindo renda (GINI abaixo de 0,35). Demonstramos um Orçamento Socialmente Responsável com 3 medidas-chave para maximizar a demanda agregada e retomar pleno emprego com industrialização:

Apresentação com Resumo Geral do blog: Br – Macro Para Crescimento Inclusivo

No Menu à esquerda temos páginas com conceitos e dados relacionados ao nosso objetivo.

Abaixo estão os artigos escritos no blog em ordem cronológica.

Nossos conceitos são consistentes com a boa Teoria Econômica de Smith, Keynes, Friedman e Stiglitz, sempre considerando a evolução da Riqueza da Humanidade.

Somos sócios neste país. Reflita sobre nossos pontos e argumentos. Use lógica e bom senso da teoria econômica. O voo de galinha de 1% ao ano em PIB/cap desde 1980 é consequência da gestão macro-econômica conduzida por equipe inepta no Banco Central direcionada por um Sistema Financeiro Ilícito. Tivemos uma depressão econômica induzida e voluntária. Continuamos em ambiente negativo com o desastre social se ampliando (desemprego de 13%, queda de salários, desalento e violência) em país que já tem uma das piores concentrações de renda do mundo. Chega de miséria. Entenda A Natureza da Vida Humana e vamos evoluir nossa comunidade mudando este jogo.

Seja responsável pelo futuro de nosso país e participe tomando iniciativas em sua comunidade.

*Democráticos significa fazer o bem para a maioria, seja através de eleição com sufrágio universal (EUA e todos os países desenvolvidos.) ou com amostra significativa de boas cabeças do país (China – 90 milhões de membros do Partido Comunista).

Brasil sem Perspectiva. Ação Popular contra Sistema Financeiro: R$20 trilhões

Nossa situação econômica e social continua muito ruim e sem perspectiva de melhora no médio prazo. Desemprego e violência. A principal causa disto tudo está associada à política macro-econômica que define a demanda agregada pelo trabalho brasileiro. Nenhum dos candidatos propõe algo realista para solucionar este problema.

Os ilícitos do MDB, PSDB e PT vão continuar o mesmo jogo com as mesmas promessas. Apesar de controlarem a maior parte dos recursos financeiros para as campanhas, acredito que nenhum deles ganhe. Os demais incluem um ex-militar, populista, que já largou a própria esposa por uma mais jovem, e vai se aproveitar do poder quando o tiver, já escalou na área financeira um banqueiro da Seita dos Falsos Liberais Rentistas.

A Marina, confusa, apesar de honesta, escalou uma equipe econômica também confusa, burocrática, não voltada para crescimento. E o Ciro, único candidato que tem tido coragem para enfrentar o sistema financeiro, possui assessores birutas que não demonstram conhecimento técnico razoável para levar o país na direção da riqueza. São elementos que não sabem balancear planejamento com as forças do mercado. Parecem muito interventores com grande elemento de incompetência. Em resumo a situação está feia e o cenário mais provável está de manutenção do status quo, mas com menos corrupção.

Nos últimos 24 anos, desde a implantação do Plano Real em 1994, o sistema financeiro nacional composto por Copom, Banco Central e Febraban manipularam intencionalmente a taxa de juro (SELIC) brasileira na defesa de seus interesses em detrimento da geração de riqueza para a comunidade brasileira. Estimo que perdemos R$20 trilhões de reais, sendo R$4 trilhões desde 1994 quando nos enfiaram definitivamente na pior depressão voluntária criada na história da humanidade.

Neste contexto sem perspectiva, com grande intensidade de covardia nacional (militares, empresários, faculdades, mídia e jornalistas) só resta o caminho da Justiça via Ação Popular. Iniciamos a estruturação desta Ação na coluna à esquerda deste blog. Caso tenha dados concretos que corroborem nossa tese, ou a demonstrem incorreta, favor enviar para o email giuliani.edu@gmail.com.

Reflexão Nacional: Quando vamos deixar de ser Covardes?

A situação do Brasil demonstra como a covardia permeia nossa sociedade:

  • Uma das piores concentrações de renda do mundo. Miséria crescente com favelas nas principais grandes metrópoles (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife etc). Desemprego e baixa ocupação de mão-de-obra afetando 28 milhões de trabalhadores e suas famílias atingindo provavelmente 80 milhões de brasileiros.
  • Violência crescente com Exército enfrentando as consequências do problema social (crime), ao invés das causas que levam os brasileiros aos crimes (desemprego, ilicitude na política de juro)
  • Se tivéssemos eleições hoje, com os candidatos menos ruins que temos, teríamos de 37 a 47% de votos brancos e nulos no segundo turno, demonstrando que o vencedor não teria o apoio da maioria dos brasileiros. Isto não é democracia.
  • Copom e BC mantém juro em 6,5% apesar do desemprego, da recessão na economia e do déficit nominal. Ninguém se move: deseconomistas, empresários, mídia…

Neste contexto procuramos jogar toda a culpa nos políticos que já demonstraram ser totalmente covardes e sem honra não assumindo seus erros. A Lava Jato já demonstrou que 80% dos líderes políticos e burocratas em posição de poder são ilícitos. Político e burocrata honesto são excessões. Os principais partidos são organizações falidas em valores e financeiramente pela perspectiva do boleto da Lava Jato.

Contudo é importante reconhecer que a Covardia permeia o brasileiro em todas as instituições relevantes:

  • Forças Armadas, com o poder de fogo que tem, mantém o país em Desordem e Regresso, na contramão de nossos valores republicanos e da boa história que tivemos até 1983. Vale a pena realçar o apoio a Getúlio Vargas e a proteção dos valores de 1964 a 1984.
  • Os deseconomistas da PUC, FGV, Insper, Unicamp e FEA, apesar de em algum momento de suas vidas terem estudado Smith, Keynes e Friedman, deixam a política econômica destruir o país sem nenhuma manifestação inteligente desafiando as instituições ilícitas do setor financeiro e do governo.
  • A mídia representada pela Folha, Globo, Valor e Estado, com capacidade de informação social, de movimentação dos líderes da sociedade com o 4o Poder, muito pouco fazem na área econômica. Só se interessam pelas notícias das ilicitudes que geram circulação e receitas, protegem seus anunciantes financeiros e menosprezam a profundidade necessária para desafiar as autoridades e líderes financeiros que dizimam o país.
  • Os empresários do setor privado, liderados em instituições como a FIESP por políticos envolvidos em vários atos ilícitos, que presenciaram a destruição de nossa indústria nos últimos 30 anos, e vivem das ilicitudes do Sistema S, nada fazem para mudar o status quo.

Barbosão no Supremo do mensalão e Moro na primeira instância com a Lava Jato demonstraram que uma de nossas instituições historicamente mais ilícitas (a Justiça), possui muita gente boa, já maioria no STF, na Polícia Federal e no MPF, e estão enfrentando nossos problemas colocando suas vidas em risco.

Quando nossos líderes genuínos, posicionados nestas instituições relevantes para a Evolução do Brasil, vão sair do armário e entrar nesta guerra que a Justiça já está enfrentando?

A covardia que nos fez perder por 7×1 para a Alemanha com a falta do Neymar e do capitão da seleção, está hoje dizimada com o trabalho que o Tite implantou na seleção.

Se cada um de nós nos concentrarmos em nosso Eu Interior, e ouvirmos o que é certo fazer pelo nosso país, pela nossa comunidade, podemos com certeza mudar este jogo. Vamos entrar em campo? Não adianta rezar porque a solução não vai cair do céu. There is no fate, but what we make.

Forças Armadas precisam impor a Democracia

Vamos parar de tapar o sol com a peneira. A situação está uma vergonha por qualquer ângulo que se olhe e a Ordem precisa ser imposta. Não podemos continuar esperando que do caos a Ordem apareça. Esta é uma obrigação das Forças Armadas, que têm demonstrado bastante covardia no último ano, culminando com o exemplo do comandante da Aeronáutica na semana passada criticando o Vilas-Boas publicamente. É covarde aquele que tem o poder para agir e não o faz. As ações necessárias são muito claras:

  • Destituir os 5 ministros do STF que votaram pelo HC do pixuleco e conduzir 5 novos ministros através de processo meritocrático como, por exemplo, no caso da PGR que faz lista eleita internamente (vetar qualquer atitude q fortaleça impunidade)
  • Destituir do poder todos os políticos no executivo e no legislativo que tenham menções significativas de ilicitudes, assim como juízes no poder judiciário
  • Destituir do Copom e do Bacen todos os profissionais com vínculos indiretos com o setor financeiro
  • Garantir eleições democráticas com forte controle no processo de comunicação de todos os candidatos para proteger a divulgação de informação honesta para a população decidir
  • Ajustar a Constituição em vários princípios para aumentar a responsabilidade dos cidadãos e cortar direitos que não são consistentes com o Bem para a maioria (p.ex. déficit fiscal). Impor objetivo claro de maximização de renda com inclusão social (educação, saúde, moradia e transporte).
  • Ajustar a remuneração de todos os profissionais do setor público para terem remuneração compatível com o setor privado, para cima ou para baixo, ajustado pelo fator de risco, liquidez e responsabilidade. Garantir que o político possa ficar rico honestamente, da mesma forma que um empresário.

As Forças Armadas são a única instituição nacional com valores patrióticos, ou seja, que põe a comunidade acima de si mesmo. Não é perfeita, mas é o melhor que temos, historicamente e estruturalmente.

Democracia (fazer o Bem para a maioria) não é um processo natural que os seres humanos no poder aceitam. Historicamente sempre o interesse próprio distorceu este processo. E é através de grandes conflitos contra ditadores, reis ou comunistas que se chega a ela: EUA, França, Inglaterra, Japão, Alemanha, China.

Não temos políticos e empresários comprometidos com a Democracia. Todos demonstram pura proteção dos interesses próprios. Chega. As Forças Armadas deixaram que esta baderna se instalasse no processo de “democratização”, já passou da hora de voltar para consertar os princípios que devem reger nossa sociedade: Ordem e Progresso. Os Inimigos internos estão muito mais danosos do que os externos: Estão todos no Poder.

Forças Armadas Realinhando para o Progresso

Comandante Mourão avisou. A Verdade da situação atual é inegavelmente complicada. A solução virá através das Forças Armadas. Não vejo outra saída realista, ou melhor para o Brasil, ou mais consistente com a nossa História. Vamos combater os tabus e entender as vantagens desta evolução.

As Forças Armadas são a instituição brasileira com direito de portar armas. Qualquer brasileiro pode servir. Os melhores sobem na hierarquia e viram generais. Defendem a Ordem e o Progresso. O ponto de união, o principal valor compartilhado, é o amor à Pátria. Dão a vida para defender o Brasil e estão ardendo na situação atual. Corrupção ali não se sustenta. O soldado é armado. Se o líder for mau exemplo, vai acabar morto.

Foram as Forças Armadas que nos libertou de Portugal, nos evoluiu do Império organizando a República e impediu o desenvolvimento do comunismo. Ignorância querer comparar nossas Forças Armadas com o caso de Fidel em Cuba, Chaves na Venezuela e outros ilícitos e ineptos de países mundo afora. A Instituição aqui é um de nossos orgulhos nacionais e foi exatamente seu distanciamento do poder que permitiu esta baderna atual.

O que a Verdade (o Bem para a maioria dos Brasileiros) nos traz pela frente:

  • Destituir quase todo o Executivo, pelo menos 70% do Congresso e pelo menos 4 membros do STF
  • Tirar do mercado financeiro o controle sobre a política macro-econômica (juro e câmbio)
  • Balancear direitos e responsabilidades na Constituição
  • Acabar com estabilidade no emprego dos funcionários públicos e criar sistema de remuneração compatível com o setor privado
  • Balancear a previdência
  • Priorizar investimentos em infra-estrutura social para beneficiar todos os Brasileiros
  • Eliminar tráfico de drogas e privilégios das religiões, incluindo isenção tributária, envolvimento no Congresso e dinheiro na cueca.

Nossas leis não permitem este tipo de ajuste e não temos líder civil para o desafio. Mesmo o bom gestor Doria está de namoro com o ilícito MT, é filiado a partido quase totalmente corrompido e está amarrado com o status quo do empresariado oportunista, incluindo nesta lista banqueiros e certos pastores evangélicos.

A única solução independente que nos resta está nas Forças Armadas. O que devemos esperar deles desta vez:

  • Rápido afastamento e punição dos ilícitos
  • Planejamento ordenado e competente da economia nacional
  • Envolvimento democrático de toda a população na formação de novas lideranças políticas incluindo forte monitoramento na transição para evitar novo retrocesso

A Pena Capital e o Crescimento Econômico

Muitas pessoas consideram a pena capital como um ato violento. Ruim para a comunidade. Precisamos entender melhor o conceito antes de julga-lo. Alguns países Iluminados, de sucesso econômico e razoável distribuição de renda, possuem a pena capital. Entre eles destacam-se Cingapura, EUA e China.

A pena capital para certas situações como estupro, pedofilia, tráfico, assassinatos e corrupção sem demonstração de arrependimento e minimização de prejuízos para a sociedade pode sim melhorar a comunidade.

Como seres humanos temos o tal do interesse próprio, que é positivo para a nossa evolução (p.ex. agente no capitalismo), contudo é perigoso se deixado atuar livremente, sem controle pela comunidade. Democracia é uma das ferramentas sociais para controlarmos nosso interesse próprio. Com incentivos errados nos achamos deuses e queremos ter direitos maiores que nossos concidadãos sem as devidas responsabilidades. Este é o problema com os reis, imperadores, ditadores etc. Democracia apareceu para acabar com este problema de abuso. O líder deve estar nesta posição porque trabalha para o Bem comum.

Direitos e responsabilidades. O direito à vida no universo vem com a responsabilidade de cada ser vivo melhora-lo, contribuir para aumentar a energia positiva da vida. Lei da evolução. Se alguém decide com seu livre arbítrio prejudicar este acordo da vida, melhor que seja eliminado. Energia negativa para a comunidade deve ser suprimida.

Na situação atual do Brasil seria hipocrisia dizer que no lugar destes políticos e empresários não estaríamos nos comportando exatamente como eles. O sistema de incentivos atual os conduziu a este comportamento. E o interesse próprio deles capturou a oportunidade. Como fazer para que os próximos não tenham o mesmo comportamento? Como outros países fizeram para lidar com esta situação?

Alguns países religiosos extremistas possuem a pena capital para controlar e manipular quem está embaixo. Outros possuem para controlar também quem está em cima. A inexistência de pena capital protege comportamentos ruins visto que pessoas covardes são as que mais os praticam, sendo assim o risco de morte contém fortemente estas atividades prejudiciais à vida.

Qual teria sido o comportamento destes brasileiros que se corromperam se houvesse a pena capital? Continuariam mentindo após serem pegos? Iriam procurar ajudar nas investigações e minimizar o dano causado para a sociedade?

As ilicitudes das equipes econômicas que nos colocaram nesta depressão, que causaram e estão causando a morte desnecessária de dezenas de milhares de brasileiros por ano através das externalidades de aumento de violência e falta de recursos para saúde e segurança pública. Assassinatos brancos. Que tipo de punição merecem?

Geração de Riqueza com Distribuição de Renda. A Vós Confio!

Uma das leis naturais da Humanidade é a da evolução. Progresso. Temos isto em nosso instinto e em nosso DNA. Em um país significa aumentar o PIB com distribuição de renda, ou seja, crescimento inclusivo. E a ciência econômica já decifrou este processo há centenas de anos através de Iluminados como Adam Smith e John Maynard Keynes.

O processo de crescimento depende da maximização de demanda agregada (Keynes) e do uso cada vez mais produtivo dos recursos nacionais (mão-de-obra, terras, equipamentos, infra-estrutura e capital). Sem demanda não ha razão para produzir, então não há utilização adequada dos recursos.

Demanda agregada é composta pelo consumo interno e externo (exportação), assim como por investimentos privados e públicos no país. As variáveis que definem esta demanda agregada estão quase todas nas mãos da equipe econômica do governo: taxa de câmbio, juro e poupança fiscal (receitas menos despesas do governo, incluindo juro).

Definida boa demanda agregada pela política macro-econômica, ficamos dependentes do capitalismo e da democracia para termos um crescimento inclusivo eficiente. Dois agentes econômicos são fundamentais, o empresário e o político. No capitalismo a demanda agregada cria o incentivo correto para o empresário que, vendo a oportunidade de lucro através de seu interesse próprio, organiza o sistema produtivo gerando emprego e arrecadação tributária.

De maneira complementar a democracia elege o político que vai atender o interesse da maioria da população, direcionando os gastos públicos para garantir a inclusão social, o uso do potencial de inteligência nacional dentro dos 200 milhões de cérebros brasileiros.

Nosso capitalismo dormente não está funcionando porque não temos a demanda agregada adequada para o crescimento devido a distorções na política cambial, na taxa de juro e na poupança fiscal. Esta incorreção na demanda agregada é causada por ilicitude na equipe econômica do governo que protege os interesses de um único setor (o financeiro) visto que não é atingida efetivamente pela democracia, que é muito fraca em nosso país.

Democracia não é votar, e sim ter um governo que faz o que interessa à maioria. Este interesse pode ser levantado pelo voto, ou por uma pesquisa de opinião. É fácil de ser compreendido. Os institutos de pesquisa fazem isto frequentemente. Se observarmos pesquisas na China, ou em Cingapura, e compararmos com uma no Brasil, fica evidente que a democracia é muito mais forte nestes dois países, do que aqui, apesar de na China não haver eleição popular, dentro do sistema comunista de governo.

Nosso país foge da Verdade (evidências científicas que levam ao crescimento) e do Bem (interesse da maioria dos cidadãos). E a responsabilidade disto é nossa, porque não ouvimos com respeito nosso Eu interior, nosso instinto natural, que sabe muito bem o que deve ser uma comunidade mais justa e bacana. Deixamos nosso livre arbítrio ser dominado pelo interesse próprio de curto prazo, que não leva à evolução de nossa alma, mas mantém um status quo inadequado, do qual sentimos vergonha, criticamos, mas fazemos pouco a respeito.

Nossa Egrégora nacional tem evoluído muito nos últimos anos com a operação Lava Jato e o esforço de vários outros Brasileiros. Não podemos desperdiçar a oportunidade de contribuir, deixar nosso legado para a geração de nossos filhos. O que você fez nesta vida que contribuiu para um Brasil melhor? O que ainda pode fazer? Quer ter orgulho do legado que vai deixar no país? A Vós Confio!

O que você pode fazer pelo Brasil IV – Credo dos Assassinos

Estamos vivendo um contexto extremamente negativo e há necessidade de fazermos algo a respeito para merecermos um país melhor. Pesquisa Datafolha indica que ainda não merecemos. Vamos aos fatos.

No momento vivemos uma Ditadura da Ilicitude.

Executivo claramente ilícito: distorceu TSE na votação da chapa elegendo membros ilícitos para controlar a votação; comprou o voto dos congressistas para não ter a denúncia; foi gravado em conversa claramente criminosa; colocou Alexandre Moraes no STF que segurou a discussão de foro privilegiado; colocou a Dodge na PGR fazendo encontros escusos noturnos fora de agenda; envolvidos na Lava Jato o presidente e a maioria dos ministros. Não há o mínimo escrúpulo.

Legislativo claramente ilícito: distorceu as leis anti-corrupção e votou na noite da tragédia Chapecoense; não aceitou a denúncia contra MT; maioria dos membros envolvidos na Lava Jato; aprovando orçamento bilionário para campanha política enfatizando o contínuo uso da mídia para distorcer o voto democrático bem informado.

Judiciário duvidoso. Vergonha do TSE que não puniu a chapa ilícita. Risco de retorno na prisão em segunda instância com a morte do Teori e indicação do Alexandre Moraes. Mudança na PGR para indicada pelo presidente ilícito em encontro noturno. Polícia Federal querendo se envolver em delação sem ter a independência necessária do poder executivo como tem, ou tinha, o MPF. Estão inclusive questionando decisões do MPF.

A situação é de desordem institucional. Podemos reconhecer que mesmo assim a situação ainda é muito melhor do que há 10 anos atrás, quando tudo ocorria, tínhamos consciência, mas nada acontecia. Impunidade era total.

Na área econômica, que impacta mais a vida dos brasileiros, a situação permanece muito ruim. BC continua com a taxa de juro ilícita de 9,25%, indicando 7 a 9% de juro real quando o mercado internacional nos cobraria 1%. Totalmente contra qualquer política monetária de bom senso técnico que deveria ser de expansionismo de base monetária com juro moderado para estimular a demanda agregada e reduzir o desemprego. Setor financeiro controlando a agenda de maneira que já gerou R$3,5 trilhões de prejuízos ao Brasil. Desemprego chegou a 14% e deve continuar subindo com a restrição de demanda agregada causada pelo déficit nominal, doença holandesa e aumento de trabalhadores com o crescimento vegetativo do país. Violência escalando rápido com a queda da renda da população e a restrição dos recursos públicos para os serviços essenciais de segurança, infra-estrutura e saúde.

A situação é nitidamente de regresso econômico e social. Nada de progresso.

Neste contexto institucional, político, econômico e social, 43% dos leitores da Folha acham que o MT deveria continuar o mandato, enquanto 84% da população brasileira é contra. Em resumo, podemos inferir que 43% da elite brasileira que lê jornal, e é bem informada, prefere conviver com a Impunidade. Estão de alguma forma se beneficiando deste sistema. Parece que ensinam seus filhos que o problema não é fazer a coisa errada, é ser pego fazendo a coisa errada. Lei de Gerson. Isto não é democracia. É ditadura da Ilicitude.

Nosso povo é bom: 84% não aceita isto. Nossa terra é maravilhosa: litoral muito bacana, Amazônia, Foz do Iguaçu, Pantanal, áreas agrícolas, clima sem frio extremo e sem desgraças sísmicas e atmosféricas. Temos os recursos que precisamos para ser um país de sucesso e felicidade, mas estamos com um claro problema de valores na elite que toma as decisões.

Caímos na situação de um Credo dos Assassinos:

  • Quando as verdades não podem ser questionadas (p.ex. juro e impunidade),
    Nada é Verdade
  • Quando os cidadãos de Bem ficam restritos pelas leis e pela moral,
    Tudo é Permitido
  • Precisamos viver na escuridão para proteger a Luz (o Bem para a maioria da comunidade)
  • Há necessidade de sermos Assassinos

A similaridade de nosso contexto com a Idade Média é algo assombroso. Estamos em um grande imbróglio, caímos em um limbo institucional. Precisamos agir para merecer um país melhor. O Bem está escrito dentro de todos os seres humanos, em nosso código genético, em nossa consciência. Não estamos sozinhos querendo o Bem, somos a maioria, mas precisamos agir, municiando o MPF, a Polícia Federal e as Forças Armadas.