Exército Brasileiro Covarde: Cadê o Braço Forte e a Mão Amiga?

A principal Instituição deste país é o Exército Brasileiro. Da Proclamação da República até 1984 foi a principal força que moldou o Brasil. A visão de Benjamin Constant de Ordem e Progresso foi a grande inspiração desta organização, que pegou um Brasil Império que crescia 2,4% ao ano e levou para 5,6%, atingindo 12% durante o Milagre Brasileiro. Líderes sem ego, movidos por valores de Coragem, Meritocracia e Cidadania.

Heróis como Hermes da Fonseca, Castello Branco, Costa e Silva, Médici, dedicaram suas vidas para nos entregar esta nação. Hermes influenciou a Proclamação da República, fortaleceu o Exército e estruturou o Movimento Tenentista que visava livrar o Brasil das oligarquias que o prejudicavam. Morreu do coração como consequência do enfrentamento contra a posse de Artur Bernardes (pior presidente que tivemos até o Bozo). Os tenentes garantiram as posses de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubistchek em momentos de instabilidade institucional. (A Evolução do Brasil)

Castello Branco foi o grande arquiteto da Revolução de 1964, organizando as finanças e a estrutura do Governo. Morreu em acidente aéreo a serviço do país. Costa e Silva foi o melhor dos tenentes. Pegou baixo crescimento (3-4%) e desemprego alto, reduziu inflação, criou 55 estatais e levou crescimento para 9% ao ano. Morreu de derrame a serviço do país. Médici criou 99 estatais, levou crescimento para 12% ao ano, reduziu ainda mais a inflação e entregou “Este é um país que vai para frente” elevando a auto-estima e o sentimento de patriotismo de todos os brasileiros.

Apesar de darmos ao Exército o direito e o poder de centralizar as Armas do país, a partir de 1985 eles abandonaram este poder e viraram Covardes. Deixaram o país implantar uma constituição vergonhosa, de direitos sem responsabilidades, que garantiu a impunidade e a estruturação de uma das repúblicas mais ilícitas do mundo. Nosso crescimento que era de 5,6% ao ano (média 1931-1984) voltou ao nível de Brasil Império (2,3% ao ano). Não se mexeram em nenhum momento crítico: constituição, hiperinflação, Collor, reeleição FHC, apagão elétrico, mensalão, castelo de areia, apagão aéreo, depressão Dilma, ilicitude Temer, desestruturação da Lava Jato, dinastia da Bozolândia e Covid.

Esta covardia institucionalizada é o DNA de Villas Boas, Mourão, Heleno, Braga Netto e Ramos. Generais que saem da ativa e entram no mundo político perdem o contato com a tropa e os valores pessoais. Corrompem suas almas.

O Exército Brasileiro é muito maior que estes mau caracteres. Os Generais que comandam as tropas sabem que representam os interesses da população brasileira, que empregam os brasileiros mais simples e os transformam em líderes que colocam suas vidas a risco para a defesa do país. Não há ideologia. Não há ego. Há Ciência, Coragem, Meritocracia e Cidadania. Missões a serem cumpridas para garantir Ordem e Progresso para todos nós.

A Dinastia da Bozolândia já passou dos limites. Além de Congresso e STF ilícitos, o Executivo continua ilícito se aliando ao Centrão e misturando política com questões de saúde pública. Está em pacto com as oligarquias financeira, do agronegócio, dos servidores e do sacerdócio dizimando nossa economia, empregos e saúde dos brasileiros. Não há honra e comprometimento com nossos interesses.

Moro, Mandetta e os Governadores são continuamente desrespeitados ao buscar a Verdade e o interesse da população. Colocam suas vidas a risco ao desafiar as ilicitudes enquanto os brasileiros armados ficam quietos. Einstein já dizia:

“O mundo é um lugar perigoso para se viver não por causa daqueles que fazem o mal, mas por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer”

como bem ilustrou Miguel Srougi na Folha.

Meritocracia vem antes de hierarquia. Hierarquia sem sabedoria é monarquia. O Exército nos tirou deste sistema de governo em 1889.

Estamos nos transformando rapidamente em uma Venezuela. Caminhamos para centenas de milhares de mortes de brasileiros, desemprego elevadíssimo, aumento da criminalidade e muito provável Guerra Civil.

Quanto antes o Exército acordar, menor será a desgraça. Cadê o Braço Forte e a Mão Amiga?

Tenentismo Já! governo central não nos representa como em 1930

Posse Brasil

Esta foto em 29 de abril de 2020 para a posse de um ministro da Justiça, no mundo da pandemia em que vivemos, é uma clara evidência que estamos sendo liderados por Burros, Mau Carácteres, Covardes e Fanáticos. A Humanidade, seguindo sua Lei Natural de Evolução, condenou este tipo de prática. Para combater os riscos da COVID, decidimos proibir aglomerações. 4 bilhões de pessoas estão respeitando esta regra.

Não há Meritocracia. Desrespeito aos melhores líderes. Quem fala e defende a Verdade é perseguido. Vejam o caso do Mandetta na Saúde, do Moro na Justiça e de todos os governadores praticando políticas responsáveis em seus estados como Doria, Witzel e Caiado. São perseguidos pelos líderes civis e militares do Planalto.

Falta de Respeito à Ciência em Saúde. Brasil está com a pior taxa de contágio do mundo (3) conforme análise do Imperial College de Londres, apesar de estar em quarentena há 40 dias. Estamos nos tornando o 2o país em número de mortes diárias e em ascensão. Temos uma bomba relógio em potencial com o efeito Bozo-Favelas, ou seja, presidente incentivando a quebra do isolamento e dezenas de milhões de brasileiros vivendo em condições miseráveis de moradia que tornam muito difícil o isolamento.

Mau Caracteres. O impeachment com mais de 15 crimes de responsabilidade parece inviabilizado porque o Bozo está comprando o Centrão do Congresso dentro de um contexto de pandemia. Mente no resultado de seu exame de COVID. Está disseminando a doença entre membros de sua equipe e o público, além de incentivando a quebra do isolamento com efeito bombástico em inúmeras comunidades dos fanáticos que o seguem cegamente pelo Brasil. Dissemina FakeNews sobre questões de saúde e lideranças nacionais através do Gabinete do Ódio que bateu record mundial de mensagens falsas.

Militares Covardes. O maior herói nacional deste século, Sérgio Moro, pede demissão e não é apoiado pelos militares. Moro se expõe contra corruptos políticos e empresários, traficantes e agora milicianos do governo, e o Exército Covarde o deixa exposto sem armamento na frente de batalha. Exército não liga para Justiça, saúde do povo e emprego dos brasileiros. Colocam a Hierarquia acima de Meritocracia, Cidadania e Sabedoria.

Fanatismo. Apesar do risco à saúde, dezenas de pessoas (os principais líderes do planalto) se aglomeram na posse do ministro da Justiça que se refere ao Bozo como Profeta. Um sacerdote de oligarquia religiosa que não paga tributos para ajudar a comunidade mas paga políticos para representar seus interesses no Congresso. Coleta dízimos em nome de deus para agir contra ele. Como que um tipo destes pode fazer parte da Justiça?

Falta de respeito à Ciência em Economia. Keynes em 1936 criou o conceito de demanda agregada para tirar o mundo da Grande Depressão de 1929 e iniciar fase de grande progresso com inclusão social (evidências em Singapura e China). A equipe ideológica liberal do governo, que já nos mantinha no desemprego elevadíssimo de 11% com 43% de informalidade antes da pandemia, continua manipulando de maneira negativa o juro em 3,75% que deveria estar em Zero como o FED, o câmbio com doença holandesa que deveria estar em R$9 se não tivéssemos a isenção de impostos nas exportações de commodities, e os investimentos públicos que deveriam ser bastante representativos principalmente em situação de alto desemprego (ociosidade de potencial humano). Precisamos na verdade de um Plano Roosevelt (Keynes).

Estamos em uma crise sem precedentes em nosso país em termos políticos e de sobrevivência. 1930 é a data que mais se assemelha a atual. Naquela época a política do Café com Leite produzia um governo que não representava os interesses da maioria da população. O Tenentismo (Ordem e Progresso) germinado por Hermes da Fonseca entre 1889 (Proclamação da República) e 1922 (Levante do Forte de Copacabana) teve papel fundamental na organização dos Estados da Federação para derrubar o governo central em 1930 e transformar o país até 1984.

Verdade é filha do tempo, não da autoridade. Não adianta fingirmos que não estamos vendo e nos acovardarmos. A Evolução do Brasil exige uma atitude: TENENTISMO JÁ.

Bozo: Burro, Mau Caráter e Perigoso

Dia D. Bozo está colocando nossa comunidade em Perigo. Chega!! 4 bilhões de seres humanos já entraram em isolamento e os outros estão indo no mesmo caminho. Vários países tentaram uma estratégia racional sem o isolamento, tentando salvar a economia, mas não conseguiram (Itália, Reino Unido, EUA, Espanha etc.). Se passar dos 1.000 casos antes de começar o isolamento, a situação fica fora de controle antes de começar a melhorar. Por 6 dias de atraso nesta decisão, a Itália detonou com seu sistema de saúde e convive com cadáveres nas ruas e nas casas das famílias. Burro que é o tipo que se mata achando que está certo. No caso o Burro quer nos forçar no barco com ele. Chega!!

Estamos seguros em SP porque Dória tem sido um bom líder com iniciativa fundamentada. Atuou na hora certa. Segurou a calamidade. Apesar disto outros estados já estão querendo levantar o isolamento (MT, SC, RO). Dentro de SP não vão entrar, vão detonar suas próprias comunidades.

O Mau Caráter nunca defendeu emprego. Há 15 meses no governo nunca tomou nenhuma iniciativa para diminuir os 11% de desemprego, 43% de informalidade, milhões de miseráveis e centenas de milhares de mendigos nas ruas do Brasil. Nunca fez nada. E agora vem com esta campanha de acabar com o isolamento para defender empregos. Atitude política de Mau Caráter. Além disto não deu transparência para seu exame de Corona e esteve disseminando o vírus entre sua equipe e vários bozomínions nas manifestações. Totalmente incompatível com o Cargo. Já temos dezenas de razões para o impeachment desta figura. Outras vergonhas que nos fez passar:

  • Desrespeito aos principais meios de comunicação do país (Folha e Globo)
  • Espalhando FakeNews em assunto de saúde (fim de lockdown em NYC, questionamento de projeções do Imperial College, efeitos do Corona na saúde e na mortalidade)
  • Laranjal do Queiroz
  • Dinastia da Bozolândia criando conflitos com China, França, Argentina e tantos outros países amigos
  • Partido de Idade Média defendendo sacerdócio, discriminação de brasileiros e combate ao demônio (Pixuleco)
  • Sacerdócio representado no 7 de Setembro
  • Discriminação de petistas como se não fossem brasileiros e como se o trabalho social que o PT fez em seus 13 anos de governo pudessem ser menosprezados. Devem ser presos pela roubalheira mas respeitados pelos bons projetos de inclusão social (Bolsa família, Mais Médicos, Ciências Sem Fronteiras, Minha Casa Minha Vida e melhores juízes do STF no caso da Dilma).
  • Desrespeito ao Meio-Ambiente nas questões Globais da Amazônia
  • COAF fora da Justiça
  • Desrespeitos ao Vice-Presidente General Mourão e ao Sérgio Moro. Ego ferido… Não respeita meritocracia.

E é um líder de milícia como tudo indica e parece ficar comprovado com ameaças ao Doria. O que o torna Perigoso, pois a milícia sabe manusear armas e não é tão incompetente quanto a Esquerda Armada da década de 60/70.

Estamos diante de uma situação de provável Guerra Civil. Bozomínions sendo incentivados a quebrar o isolamento colocando em risco a saúde de toda a população. Estas carreatas estão promovendo genocídio pois certamente matarão todos os grupos de risco. Não vai ficar barato. Muito mais grave que qualquer nível de corrupção já atingido em nosso passado recente. Precisamos dos atiradores de elite do Witzel para eliminar os líderes destas carreatas.

O Exército Brasileiro sempre agiu nestas circunstâncias: Floriano substituindo Deodoro, destituição de Getúlio Vargas, destituição de Goulart. E teve o Tenentismo tentando impedir Artur Bernardes de assumir em 1922 e o Levante Paulista de 1924 pelos mesmos tenentes para tentar tira-lo do poder.

Ou o Comando do Exército age para entregar o poder ao Mourão, ou vamos ter que iniciar um novo movimento Tenentista para por Ordem no País.

US Election: Batman vs. Joker

The US Election process is the most impressive democratic experience of humanity. Really beautiful. Their values of Courage, Meritocracy and Citizenship are an Icon to this world. This year we have Batman (Bloomberg) against Joker (Trump). The Joker has done a good job in terms of immigration issues and trade with China, however he clearly lacked on environment, ethics, inclusiveness and world leadership.

Bruce Wayne initiated the battle later however very well prepared. He is currently strengthening his campaign competing with an interesting democratic team that bring important issues to the American society: inclusiveness with Sanders/Warren.

S/W are tackling inclusiveness looking into Europe welfare instead of Asian success: Singapore/China. They think about inclusiveness like being fair to people, instead of being an important economic evolution tool to maximize the potential of the brains at the bottom of the pyramid. Our 2 billion years genetic machines wasted with lack of appropriate resources on social infrastructure: health, education, housing and transportation.

Bloomberg, self-made billionaire, philanthropist, American Icon, 3 times mayor of the most important city of our civilisation, will probably incorporate inclusiveness in his agenda, as he did in NYC housing, and take on Trump in the near future.

We have a very interesting year ahead of us in the evolution of our Kind!

A Política do Crescimento Inclusivo: Oportunidade Bilionária.

Desde 1936 quando Keynes escreveu sua obra que criou a Macroeconomia, executar crescimento inclusivo ficou matematicamente determinado. Basta ajustar a demanda agregada do país para ter crescimento e direcionar a arrecadação tributária para despesas e investimentos em infra-estrutura social de educação, saúde, moradia e transporte. Este direcionamento gera bons empregos e mantém a evolução dos cérebros da população. No caso brasileiro implica em um câmbio de competitividade econômica internacional de R$9 e uma taxa selic em nível neutro de 1%. Este modelo foi seguido por Japão, Tigres Asiáticos, China, Índia etc. A consistência do crescimento destes países, enquanto aplicam ou aplicavam estas regras, deixa evidente que o progresso é resultado direto de uma matemática keynesiana.

O grande desafio em trilhar este caminho está em criar a vontade política para que isto seja feito. Criar vontade política significa implantar um sistema democrático que faça efetivamente o melhor para a maioria dos cidadãos e não se deixe controlar por oligarquias que manipulam o sistema em prol unicamente de seus interesses.

No Brasil temos 4 oligarquias que nos jogaram no imbróglio que vivemos desde 1985:

  1. Financeira (controla o juro e influencia o câmbio, o desemprego, a desindustrialização e a irresponsabilidade fiscal)
  2. Agronegócio (influencia o câmbio, a desindustrialização e a irresponsabilidade fiscal na exportação não-tributada)
  3. Servidores públicos (praticantes de irresponsabilidades fiscais e remuneração desonesta)
  4. Sacerdócio (garantia de não tributação causando irresponsabilidade fiscal)

Estão na ordem de prioridade em termos dos danos causados ao país. A maneira como as 4 atuam no Congresso para defender seus interesses é muito acima de qualquer nível razoável. Legisladores votando em posição de total conflito de interesse desrespeitando responsabilidades fiduciárias, fiscais e sociais.

Uma mudança de rumo para o país fica dependendo da formação de um partido que tenha um Plano de Governo consistente que priorize efetivamente o crescimento inclusivo. Este é o caso evidente do People Action Party (PAP) em Singapura e do Partido Comunista na China. Como Podemos pegar o aprendizado destes partidos e aplicar no contexto nacional? Como trazer o Planejamento do Governo para dentro do partido e ter uma estratégia nacional a ser implantada nos 3 poderes via influencia do partido nos políticos que o representa nos órgãos públicos? Como criar os incentivos para atrair os talentos nacionais para a formação desta estrutura partidária? Talentos com as devidas habilidades para implantação destas iniciativas de gestão pública.

Todos os partidos nacionais estão focados em uma briga por poder, sem realmente saber para onde querem levar o Brasil. Deixam o Plano de Governo para o possível mandatário, depois de ganhar a eleição. Não há continuidade. O Exército, como Instituição, conseguiu criar um Rumo para o Brasil até 1984 através do Tenentismo apoiado pela Escola Superior de Guerra. O abandono do Exército deixou esta função para os partidos políticos. O Planejamento virou função de estabelecimento de planilha de distribuição de propina.

A mudança precisa começar na organização dos partidos políticos. Como ficar bilionário ajudando o Brasil a ter forte crescimento inclusivo nas próximas décadas? Emprego, escola, moradia, saúde e transporte para Todos os Brasileiros.

Ordem, Progresso e Inclusão

130 anos de República. Em 1889 Hermes da Fonseca influenciou seu tio Deodoro a proclamar a república, com base no positivismo que lhe foi ensinado por Benjamin Constant na Escola da Praia Vermelha. Ordem e Progresso. PIB do Brasil que vinha crescendo a 2,4% ao ano em um Império lento, parlamentarista e pouco meritocrático, que demorou para abolir a escravidão, entra em um novo ritmo de 4,1% de crescimento ao ano.

Hermes mais maduro virou Ministro da Guerra, melhorou o profissionalismo do Exército e virou Presidente em 1910, apoiado por Nilo Peçanha. Combate o regime oligárquico da política dos governadores e do café com leite, instala a Escola Militar do Realengo, forma uma nova geração de oficiais e cria uma iniciativa que transformaria o Brasil: Tenentismo. Taxa de crescimento pula para 5,6% ao ano até 1984. Nenhum presidente incompetente e liberal comandou o país neste período. Brasil sempre cresceu a taxas mais rápidas do que a média do mundo, até 1984.

Brasil no PIB Mundial

Em 1985 os militares abandonaram o Brasil, deixando uma hiperinflação causada pela irresponsabilidade fiscal do processo de redemocratização nas mãos do Delfim Netto. Brasil se perdeu. Nós, brasileiros com mais de 30 anos de idade, e renda mensal acima de R$5K, estimo em menos de 10% da população, somos responsáveis por esta vergonha. Somos a pior geração de brasileiros desde a Proclamação da República. Herdamos de nossos pais um país maravilhoso, que vinha evoluindo consistentemente, e conseguimos bagunçar completamente nossas instituições.

Sem a participação dos militares, construímos uma constituição de adolescentes, cheias de direitos e sem responsabilidades. Somos hoje um dos países mais corruptos do mundo, no qual conhecemos quem são estes corruptos, mas não conseguimos prende-los eficientemente ou mante-los atrás das grades. Não há Ordem e Progresso.

Jair Bolsonaro, o Bozo, cometeu um grande estelionato eleitoral vendendo a imagem de Brasil Acima de Tudo, com o apoio das Forças Armadas, e hoje está liderando um governo de direita liberal de desempenho pífio como vinha sendo a Democracia Imperial (1985-2018), sem nenhuma responsabilidade social, envolvendo família imatura, milícia, religião, fakeNews, enfraquecendo a mídia profissional (Globo e Folha) para fortalecer a mídia religiosa (Record), discriminando e desrespeitando 30% da população que é petista, desrespeitando o meio-ambiente internacional, apoiando líderes irresponsáveis (Trump), prejudicando a agenda anti-crime através de acordos com ilícitos do Congresso e do STF (p.ex. COAF, prisão em 2a Instância, Polícia Federal).

Está indo além de qualquer expectativa na criação de um partido de Idade Média com “valores” como religião, milícia e combate ao demônio (Lula/PT). É uma verdadeira Dinastia da Bozolândia, totalmente inconsistente com os valores da República. Foi um Herói ajudando a derrubar a máquina governamental ilícita, mas já cumpriu seu papel e precisamos andar para frente.

Temos 4 oligarquias prejudicando o país: Financeira, Agronegócio, Sacerdócio e Servidores. As três primeiras estão claramente envolvidas com este governo. Sem reorganizar os interesses destas 3 oligarquias ficará impossível voltarmos à evolução.

A oligarquia financeira forçou a subida do juro a partir de 2013 e detonou completamente com o governo Dilma e o PT. Para leigos procuram jogar a culpa da depressão na Nova Matriz da Dilma e nas ilicitudes do PT. Para quem tem um pouco de discernimento, ficou claro que o PIB só melhorou com o Temer quando abaixou o juro de 14,25 para 6,75%. E só melhorou um pouquinho com o Bozo quando abaixou de 6,75% para 5%. A queda do juro aumenta a demanda agregada e dá impacto direto no PIB. Contudo o nível honesto, de taxa neutra, para maximizar demanda e geração de emprego é por volta de 1%, e estamos muito longe disto. Toda a projeção do governo está em manter o crescimento no patamar de 1-3%, sem real enfrentamento com a oligarquia financeira. Este caminho vai manter alto nível de desemprego e queda na renda dos brasileiros.

A oligarquia do agronegócio impôs a Lei Kandir que isentou de tributos as exportações de commodities agrícolas e minerais. Esta iniciativa quebrou as finanças dos estados dependentes destes produtos e prejudicou a industrialização do país através da valorização cambial causada pelo efeito “doença holandesa”. Indústria que é a maior arrecadadora de tributos e que gera o maior volume de empregos de alto valor agregado.

O caminho da Evolução não é pela esquerda nem pela direita. É pelo centro (GV, JK, Costa e Silva, Médici) que através do capitalismo da direita gera recursos para fazer a inclusão social requerida pela esquerda. A direita liberal de Collor a FHC detonou com os empregos nacionais. A Esquerda de Lula/Dilma detonou com as contas públicas. Em ambos os contextos a oligarquia financeira dominou. Lucro dos bancos cresceu 26X de 1997 a 2018 enquanto Brasil cresceu a míseros 2,3%. Hoje com a Dinastia da Bozolândia-Guedes estamos aplicando o pior da Direita (menosprezo por empregos brasileiros) com o pior da esquerda (enfrentamento autoritário nas instituições de mídia e sociais).

Bozo-Guedes, com apoio da oligarquia financeira e da mídia da Seita dos Falsos Liberais Rentistas, estão jogando toda a culpa da depressão em cima do PT. Isto é uma grande mentira tendo em vista que a verdadeira causa foi a elevação do juro pela oligarquia financeira: Depressão BR. A situação socialmente insustentável atrelada a esta grande divisão do país entre bolsomínions e petistas, pode nos levar a uma Guerra Civil Burra.

Desemprego desumano, crescimento pífio, divisão social, impunidade com ilícitos soltos, péssima distribuição de renda, ampliação da miséria, contenção dos programas sociais. Todos elementos explosivos para uma alta instabilidade na República. Um país decente não vai cair do céu sem forte determinação e sem o Espírito Tenentista que vinha nos auxiliando. As Forças Armadas precisam parar de ser Covardes e devem retomar seu papel de garantir Ordem e Progresso como Inscrito em nossa Bandeira, contudo coordenar de maneira que a próxima Revolução seja Democrática e Fortemente Inclusiva.

 

Presidente Moro na Democracia Ineficaz

Moro é a melhor solução para a Presidência do Brasil considerando nossa História e contexto político. É necessário que construamos esta alternativa antes de 2022.

Tem brasileiro que acha que vive em país democrático porque vota para os cargos políticos. Com 37 milhões morando em favelas (18% da população), 12% no desemprego, 43% na informalidade e uma das piores concentrações de renda do mundo, é impossível querer acreditar que vive em uma democracia que visa o Bem da maioria. Os fatos demonstram que isto não é verdade.

Apesar de não vivermos em uma democracia plena, o melhor sistema para os brasileiros é o do voto direto para presidente. Basta analisar nossa história. Sempre que dependemos do Congresso para alguma decisão importante tivemos problemas sérios:

  • Em 1922 não impediram que Artur Bernardes assumisse na política do Café com Leite, apesar do povo estar totalmente contra o candidato
  • Em 1961 na renúncia do Jânio, instalaram um parlamentarismo com o Tancredo que foi o maior fracasso. Piorou a situação.
  • Em 1988 fizemos a Constituição dos Direitos Sem as Responsabilidades, que fez surgir um dos maiores esquemas de corrupção da humanidade, nos 3 poderes.
  • Em 2016 distorcem Leis Anticrime na noite do acidente da Chapecoense
  • Em 2017 mantém Temer (o Ilícito) por duas vezes no poder apesar de 90% de desaprovação popular
  • Em 2019 tentam passar leis para conter Abuso de Autoridades que buscam por um fim a Era da Lei de Gerson; tiram COAF da Justiça e perseguem Sergio Moro.

Nosso Congresso não forma líderes, simplesmente agrupa inúmeros ilícitos, que sempre controlam a maioria. Vários dos brasileiros mais ilícitos que tivemos passaram pela liderança do Congresso (Sarney, Temer, Cunha, Renan etc.).

Por outro lado, via voto direto, sempre escolhemos o menos pior dos candidatos. No momento da perda não sentimos isto, mas se analisarmos as circunstâncias históricas, considerando o que seria melhor para a maioria da população, precisamos reconhecer que os melhores sempre venceram.

Para continuarmos a evoluir, precisamos melhorar os candidatos, de maneira a termos menos piores realmente bons. Este foi o caso até 1984, e deixou de ser quando entramos nesta fase de Democracia Imperial (1985-2018) com desempenho econômico pífio de menos de 2,4% de crescimento por ano.

No atual imbróglio político e econômico que nos encontramos, com a Dinastia da Bozolândia piorando o país economicamente, dividindo os brasileiros, tentando desrespeitar a governança da Justiça (Polícia Federal, COAF, Queiroz, Milícia, Receita, acordo com Toffoli), desrespeitando o meio-ambiente e a boa diplomacia, corremos o sério risco de voltar a um ciclo de candidatos menos ruins em 2022. A alternativa Doria, com inteligência e competência, é amarrado com os ilícitos políticos e empresarias do passado. Seu amigo Temer fez com que ele quase perdesse a eleição para governador. Neste contexto volta a forte ameaça da esquerda irresponsável e ilícita.

A solução de consenso nacional é o Sérgio Moro. Ele já teria ganho do próprio Pixuleco nas eleições passadas, contudo não quiz partir para a carreira política. O único brasileiro com apoio legítimo da população, por mérito, e com o devido nível de inteligência é ele. Bozo está tentando diminuir o papel do Moro, contudo o poder de sua imagem é inquestionável. Temos desafios sérios para consertar as instituições (Congresso, Justiça, Executivo, Banco Central etc.). Moro é o Presidente de Honra do Brasil e precisamos convence-lo disto.

Um Plano para o Governo: Revolução Democrática

Tivemos líderes muito bons no Brasil. Os que mais se destacaram na geração de riqueza através de emprego e inclusão social foram Costa e Silva, Médici, Vargas, JK e Castello Branco.

Estamos em um grande imbróglio institucional e econômico. Ilícitos no Congresso e no STF se defendendo, desemprego alarmante e sem perspectiva de redução no curto prazo, dinastia da Bozolândia em questões de laranjas e diplomáticas, divisão improdutiva entre esquerda e direita. Uma das piores concentrações de renda do mundo ficando ainda pior. E as mesmas oligarquias de sempre controlando a agenda do país: financeira, agronegócio, sacerdócio e servidores. Como aproveitar os melhores recursos que temos e fazer um Reset no país? Nossos líderes já fizeram isto algumas vezes no passado: 1889, 1930 e 1964. Está na hora de novo.

PLANO PARA O GOVERNO: REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA

Liderança: Sérgio Moro, Mourão ou Bolsonaro Enquadrado

Economia. Resolução de problemas fiscais e de emprego.

  • Estabelecimento de Ministério do Planejamento forte para trabalhar plano de crescimento com inclusão social para os próximos 30 anos. Taxas mínimas de 6% ao ano.
    • Taxa de câmbio de nível de competitividade econômica internacional de R$9
  • Nomeação de Presidente do Banco Central independente do setor financeiro, por mérito seria André Lara Resende, mente responsável pelo Plano Real, com responsabilidade social, fiduciária e fiscal necessárias para o cargo
    • Taxa selic de juro neutro de 1-2% ao ano
  • Definição de Estrutura Tributária inteligente com base nas melhores práticas internacionais em cima de receita, lucro e patrimônio.
    • Tributação na exportação de commodities agrícolas e minerais com o novo patamar cambial (eliminação do efeito de doença holandesa).
    • Tributação do sacerdócio

Justiça. Resolução de problemas de valores éticos e morais

  • Demissão dos ministros com forte suspeição ilícita indicados por ilícitos para o cargo: Gilmar Mendes, Toffoli, Lewandowski, Moraes, Marco Mello, Celso Mello e Rosa Weber
  • Seleção de 7 novos membros feita pelos 4 membros restantes (Fachin, Fux, Barroso, e Carmen Lúcia)

Congresso. Estabelecimento de uma Carta com responsabilidades e direitos.

  • Fechamento imediato do Congresso
  • Convocação de Assembléia Constituinte através de voto distrital
  • Definição de Princípios importantes para a Nova Constituição em termos de responsabilidades e direitos dos cidadãos. Observação de melhores práticas internacionais (p.ex. EUA, Singapura e Holanda).
    Missão de crescimento econômico com inclusão social respeitada em cada linha dos Princípios e do Detalhamento
    Economia (foco em crescimento, emprego e questões fiscais),
    Inclusão social (direcionamento de investimentos para educação, saúde, moradia e transporte públicos)
    Política (voto distrital, recall de presidente, governadores e prefeitos com desempenho e aprovação abaixo de metas estabelecidas, controle e limite da participação de membros de igrejas e servidores públicos)
    Servidores (remuneração e condições similares ao setor privado),
    Crimes (pena capital)
  • Proibição de voto em questões de conflito de interesse (regulamentação e controle dos lobbies)
  • Detalhamento consistente com os Princípios
  • Acomodação de interesses tendo como base a 2a melhor opção de cada grupo.

Fundo de Inclusão Social. Eliminar a miséria e enriquecer os cérebros dos brasileiros

  • Criação de Fundo de Inclusão Social com recursos recuperados de agentes ilícitos dos últimos 50 anos: empreiteiros, banqueiros, políticos, igrejas, servidores, produtores rurais e outros agentes que prejudicaram nossa comunidade
  • Gasto prioritário em educação, saúde e moradia dos 20% mais pobres do Brasil

Eleições Diretas para todos os cargos no Executivo e no Legislativo.

 

A Economia e o Amor do Povo Brasileiro

A missão do Governo Brasileiro é melhorar a vida das pessoas, o que significa aumentar a renda (emprego) e fazer inclusão social. Este é o preço para conquistar o Amor dos brasileiros. Se observarmos todas as trocas de liderança em nossa Evolução elas ocorreram porque a economia não andava bem. 1889 (baixo crescimento no Império), 1930 (Grande Depressão), 1945 (fim da Guerra), 1952/54 (morte do GV), 1960 (inflação do JK) , 1964 (recessão do Jango), 1984 (hiperinflação militar), 1989 (hiperinflação e corrupção), 1992 (recessão, hiperinflação e corrupção), 2002 (baixo crescimento e desemprego), 2016 (depressão e corrupção), 2018 (baixo crescimento, desemprego e corrupção). Em toda evolução, ou “golpe” como alguns gostam de chamar, as situações econômica e social do Brasil melhoram.

Apesar de toda a corrupção do governo do Pixuleco (mensalão etc.) ele foi reeleito em 2006, fez sua sucessora em 2010 e atingiu 83% de aprovação popular. Todo este poder com base em seu impacto na economia com crescimento razoável de 4,1%, inclusão social (bolsa família, projetos de saúde, moradia e educação) e pleno emprego. E em termos de corrupção hoje vemos o Pixuleco e o Dirceu na cadeia, enquanto FHC, Alckmin, Aécio, Serra, Covas e Gilmar Mendes riem.

Somos um povo da diversidade. Miscigenação faz parte da nossa genética. Quase 50% da população é parda. Nilo Peçanha, nosso presidente que abriu as portas para o Tenentismo que liberou o Brasil das Oligarquias da Velha República, era pardo. Pelé, nosso maior símbolo internacional é negro. Pixuleco, o presidente mais popular que tivemos nas últimas 4 décadas só tinha ensino primário. Mourão, o profissional mais bem preparado do governo para liderar o país é índio. Inúmeros dos melhores líderes e intelectuais do mundo são homossexuais, negros, judeus ou seja, fazem parte de minorias. Discriminação não pode ser permitida.

No Brasil somos compostos por petistas, bolsomínions, coxinhas, corinthianos, palmeirenses, empresários, trabalhadores, sem terra, servidores públicos, católicos, evangélicos, judeus, africanos, índios, portugueses, italianos, espanhóis, asiáticos, alemães, árabes etc.

Bolsonaro foi eleito para unir nosso povo e melhorar nossas vidas. Sua eleição já trouxe Ordem para o país ao garantir a continuidade do combate contra a corrupção. Contudo o comportamento de Bozo fazendo discriminações contra petistas, a mídia, homossexuais, imigrantes, industriais, trabalhadores desqualificados, professores, estudantes esquerdistas, menosprezando o desemprego não é compatível com o cargo. Está dando bastante material para o Piauí Herald e o José Simão, mas não está trazendo Progresso.

Considerando que toda posição de esquerda é inepta (Karl Marx destruidor de riqueza populista) e de direita é ignorante (menospreza o povo trabalhador), todos os nossos excelentes presidentes foram de centro (GV, JK, Costa e Silva, Médici), atendiam os interesses de empresários e de trabalhadores.

Nosso problema atual não está relacionado às maluquices do Bozo, à Previdência, à Corrupção no Congresso ou a todas as boas reformas que podem ser implantadas na nossa evolução (tributária, educação, saúde, moradia, infraestrutura etc.). Nosso problema atual é emprego. E este assunto já é de domínio da humanidade desde que o Iluminado Keynes fez sua obra Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda (1936).

Basta o governo colocar o juro em nível de taxa neutra de 2% e o câmbio em nível de competitividade econômica internacional de R$9 que acabam os nossos problemas. Taxa neutra é a taxa que garante pleno emprego sem grande distorção na inflação (mais de 20%). É um simples ajuste de demanda agregada que permitirá empregar todos os brasileiros e trazer Progresso de volta.

A equipe econômica que já está derrubando o terceiro presidente (Biruta, Ilícito e Bozo) através da manipulação do juro no Banco Central (presidentes vindos de Itaú, Bradesco e Santander), vende a falsidade do conceito de combate à inflação através do juro, e ignora e menospreza o poder deles em definir a taxa de desemprego do país. Jogam a culpa nos empresários e nos trabalhadores improdutivos.

Precisamos deixar de ser covardes e enfrentar estes ilícitos. Merecem uma Praça da Bastilha. Temos milhares de brasileiros morrendo inutilmente todos os meses devido ao aumento da violência com o desemprego e à falta de recursos para segurança e saúde.

O Presidente precisa acabar com esta visão cega e ideológica sobre a Economia, virar este jogo e conquistar o Amor do Povo Brasileiro.

A Renúncia do Bozo

O Mito cumpriu sua missão e tirou os principais ilícitos do poder. Missão de herói nacional cumprida, merece uma medalha, obrigado. O problema agora é outro: desemprego. O Bozo não possui o menor preparo e nível de competência para executar esta nova missão. Considerando perspectiva de Meritocracia militar, precisamos troca-lo.

Historicamente o comando de nossas Forças Armadas deveriam forçar sua renúncia. Não aceitam gente despreparada para comandar o país. Caso de Deodoro da Fonseca, Artur Bernardes, Júlio Prestes, GV em dois contextos (1945 e 1952), Carlos Lacerda e outros liberais que não queriam a posse de JK, João Goulart e indiretamente Castello Branco em 1967. Infelizmente a partir de 1985 abandonaram esta postura e tivemos a Constituição de 88 (de direitos sem responsabilidades) e a fase de Democracia Imperial (1985-2018) com crescimento pífio de menos de 2,5%, pior que Brasil Império, com políticos e empresários corruptos detonando com a economia nacional. Presidentes completamente despreparados, exceto Itamar Franco que fez o Brasil crescer 5,4% ao ano e garantiu condições honestas de controle orçamentário para implantação do Plano Real.

Nossa situação social agora é dramática para quem não é avestruz: 13% de desemprego, violência ascendente, insolvência da situação fiscal dos governos federais e estaduais, cortes de verba em educação e saúde, 6 membros completamente ilícitos no STF ajustando as regras para fortalecimento de Impunidade, oligarquia financeira dominando a agenda econômica protegendo interesse dos bancos e aumentando o desemprego etc.

Neste contexto social o presidente Bozo é uma total variável aleatória: assume posições ideológicas ineptas na área econômica (liberalismo submisso), na área de discriminação de minorias (homossexuais), na área ambiental (desrespeitando efeito estufa), na área social (petistas), na área do 4o poder (mídia Folha e Globo), na área militar (ciúme do Cacique Mourão), na área astrológica e filosófica (Olavo do @), na área familiar (Bozolândia), na área do Sacerdócio (passaporte diplomático?), na área de milícias (Eduardo, Queiroz e Cia), na área de Laranjais (PSL, Flávio e Carluxo etc.), na área internacional (Simpson Trump???, boicote em NYC, Eduardo vs. Araújo). Típico inepto que tenta apagar fogo com gasolina.

30 anos no Congresso não ajudaram a formar valores e competência para comandar a nação. Aproveitou a onda do anti-petismo, como o Collor aproveitou a onda anti-marajás, para chegar ao pódio. Sua aprovação popular já está desabando, não entrega o Brasil Acima de Tudo, pois está bem abaixo de seu Ego e de seu clã, e está deixando o país em situação de falta de governabilidade, com o Pixuleco falando de livros de dentro da prisão, e o Bozo de armas nas mãos de políticos e advogados.

Nossa comunidade não tem fôlego para mais uma desilusão. Não tivemos líderes até hoje que renunciassem voluntariamente em nome da Honra e do Bem para a maioria do povo brasileiro. A Biruta, O Ilícito, Artur Bernardes, Collor resistiram até as últimas horas gerando R$trilhões de prejuízos ao país. O Ego sempre pesou mais forte. GV por outro lado foi ao extremo e se suicidou. Foi um grande presidente, diferente dos demais, mas achou que sua morte iria agregar mais para nosso destino do que sua renúncia. Estava certo, pois conseguiu que JK assumisse a presidência ao invés de algum liberal inepto como Carlos Lacerda ou cego como Eduardo Gomes.

Como o Bozo vai lidar com a questão da Meritocracia e do Bem de nossa Tribo?