A Renúncia do Bozo

O Mito cumpriu sua missão e tirou os principais ilícitos do poder. Missão de herói nacional cumprida, merece uma medalha, obrigado. O problema agora é outro: desemprego. O Bozo não possui o menor preparo e nível de competência para executar esta nova missão. Considerando perspectiva de Meritocracia militar, precisamos troca-lo.

Historicamente o comando de nossas Forças Armadas deveriam forçar sua renúncia. Não aceitam gente despreparada para comandar o país. Caso de Deodoro da Fonseca, Artur Bernardes, Júlio Prestes, GV em dois contextos (1945 e 1952), Carlos Lacerda e outros liberais que não queriam a posse de JK, João Goulart e indiretamente Castello Branco em 1967. Infelizmente a partir de 1985 abandonaram esta postura e tivemos a Constituição de 88 (de direitos sem responsabilidades) e a fase de Democracia Imperial (1985-2018) com crescimento pífio de menos de 2,5%, pior que Brasil Império, com políticos e empresários corruptos detonando com a economia nacional. Presidentes completamente despreparados, exceto Itamar Franco que fez o Brasil crescer 5,4% ao ano e garantiu condições honestas de controle orçamentário para implantação do Plano Real.

Nossa situação social agora é dramática para quem não é avestruz: 13% de desemprego, violência ascendente, insolvência da situação fiscal dos governos federais e estaduais, cortes de verba em educação e saúde, 6 membros completamente ilícitos no STF ajustando as regras para fortalecimento de Impunidade, oligarquia financeira dominando a agenda econômica protegendo interesse dos bancos e aumentando o desemprego etc.

Neste contexto social o presidente Bozo é uma total variável aleatória: assume posições ideológicas ineptas na área econômica (liberalismo submisso), na área de discriminação de minorias (homossexuais), na área ambiental (desrespeitando efeito estufa), na área social (petistas), na área do 4o poder (mídia Folha e Globo), na área militar (ciúme do Cacique Mourão), na área astrológica e filosófica (Olavo do @), na área familiar (Bozolândia), na área do Sacerdócio (passaporte diplomático?), na área de milícias (Eduardo, Queiroz e Cia), na área de Laranjais (PSL, Flávio e Carluxo etc.), na área internacional (Simpson Trump???, boicote em NYC, Eduardo vs. Araújo). Típico inepto que tenta apagar fogo com gasolina.

30 anos no Congresso não ajudaram a formar valores e competência para comandar a nação. Aproveitou a onda do anti-petismo, como o Collor aproveitou a onda anti-marajás, para chegar ao pódio. Sua aprovação popular já está desabando, não entrega o Brasil Acima de Tudo, pois está bem abaixo de seu Ego e de seu clã, e está deixando o país em situação de falta de governabilidade, com o Pixuleco falando de livros de dentro da prisão, e o Bozo de armas nas mãos de políticos e advogados.

Nossa comunidade não tem fôlego para mais uma desilusão. Não tivemos líderes até hoje que renunciassem voluntariamente em nome da Honra e do Bem para a maioria do povo brasileiro. A Biruta, O Ilícito, Artur Bernardes, Collor resistiram até as últimas horas gerando R$trilhões de prejuízos ao país. O Ego sempre pesou mais forte. GV por outro lado foi ao extremo e se suicidou. Foi um grande presidente, diferente dos demais, mas achou que sua morte iria agregar mais para nosso destino do que sua renúncia. Estava certo, pois conseguiu que JK assumisse a presidência ao invés de algum liberal inepto como Carlos Lacerda ou cego como Eduardo Gomes.

Como o Bozo vai lidar com a questão da Meritocracia e do Bem de nossa Tribo?

Pixuleco 4×1 Capitão Parmito. Cadê a Inteligência?

Pixuleco Lula, ignorante, cachaceiro, ladrão, presidiário, mentiroso, 9 dedos, sem ensino médio teve 4,1% de taxa de crescimento em seu governo, baixo desemprego, manteve liderança no país por 13 anos, fez inúmeros projetos sociais, teve recorde de aprovação popular e mora no coração de pelo menos 30% dos brasileiros, apesar de todos os defeitos.

Capitão Parmito, formado na AMAN, paraquedista, 6 mandatos no Congresso, ganhou eleição com recursos financeiros irrisórios perto de todos os outros candidatos ilícitos (Herói Nacional), levou facada, mas é acompanhado por um bando de boçais (filhos, gurus etc.), diz que tem ENEM mais alto que o Pixuleco e a Biruta juntos (quero ver a nota), posições ideológicas de muitas ideiassemlógica (p.ex. liberalismo econômico, discriminação aberta contra minorias), caso Queiroz, ministro do Turismo, laranjas do PSL, gera polêmica com nosso Cacique Mourão, confia cegamente em um posto ipiranga (99,9%) que diz abertamente que o Plano de Governo é Não ter Plano de Governo (liberalismo inepto), puxa-saco de evangélicos que não pagam impostos, escondem dinheiro na cueca e subornam toda uma  gangue no Congresso para proteger seus interesses financeiros “em nome de deus” (Deus com certeza quer que eles paguem impostos). Esta figura mitológica vai fazer o Brasil crescer 1% este ano e tem o sonho de chegar a 4% durante seu mandato, mantendo o desemprego acima de 10% pelos 4 anos.

Quem é mais inteligente e honesto para com o povo brasileiro? Se você faz parte de 60% da população brasileira que ganha menos de R$2,5K/mês (nível de empregada doméstica de SP), que está cheio de ver corrupção por todos os lados, vê o Pixuleco preso, mas Temer, Aécio, Alckmin, Serra etc soltos e protegidos por 6 membros do STF, e vive em situação de informalidade e desemprego. Como que você brasileiro médio avalia a situação atual do país? Reduzir a corrupção ajudou no seu dia a dia? Faz sentido prender o ladrão do povo (“Robin Wood”) e manter soltos os ladrões da elite?

Situação extremamente preocupante para o país. Caso típico para possível guerra civil visto a divisão em dois grupos com valores opostos. Estimo que 33% querem que um ladrão saia da cadeia e governe o país. 33% querem que o ladrão fique na cadeia. 34% não sabem bem o que é melhor para o país. Como unir um país com este nível de divisão: maximização de emprego. Ordem e Progresso! Os desonestos continuam com a reputação bem merecida do Progresso. A nota dos honestos tem que ser 10%, não 1%.

Como Médici, Costa e Silva, JK e GV estão vendo este governo de covardes que perdem a batalha para um Pixuleco com 4,1%?

Capitalismo Honesto traz Progresso Imediato.

Falso liberalismo, comunismo e sacerdócio vendem o conceito de sacrifício para um bem futuro. Vendedores de Promessa. Juro alto para combater inflação, reforma trabalhista, reforma da previdência, reforma tributária, reforma educacional, investimentos em infra-estrutura, só sacrifícios para um dia chegar no paraíso… o País tem que ficar perfeito para poder crescer e gerar empregos? Certo é o que dá certo, não o que parece certo.

Quando são aplicados conceitos macroeconômicos corretos (juro e câmbio) o resultado na economia é imediato porque estes conceitos têm como base a melhoria da projeção do fluxo de caixa dos empresários nacionais, principais agentes do desenvolvimento, da geração de emprego e da arrecadação tributária. As variáveis mais importantes que impactam as decisões dos empresários são taxa de juro e câmbio.

O ignorante aprende rápido, principalmente se demonstrar a humildade de que é ignorante no assunto. O inepto não tem jeito, é fechado ao aprendizado, mistura todos os conceitos, e o resultado na maioria das vezes dá errado. Ignorância não é problema, mas inépcia é problema.

Equipe há 100 dias no governo, mais do que isto envolvidos nos principais problemas da nação e os resultados econômicos, fiscais e sociais até agora são Pífios. Desemprego e miséria aumentaram, perspectiva de crescimento da economia piorou (1,3%), aceitação popular caiu mais de 20% e equipe econômica tem perspectiva de, se todas as reformas forem aprovadas (previdência, fiscal, privatização etc.) deveremos chegar a um crescimento de 4%, o que manterá o desemprego em mais de 10% e a informalidade bem alta nos 4 anos do governo. Caos social para qualquer governo que se diga minimamente democrático. Este caos precisa ser enfrentado com mudança drástica na política macroeconômica.

SuperInepto Tchutchuca Chicago Donkey está queimando o governo Bolsonaro. Cadê a coragem do Tenentismo para empurrar Ordem e Progresso no país? O capitão é ignorante mesmo ou é inepto? A reação de bom senso no caso Petrobras deu esperança de que é ignorante mas tem coragem para enfrentar situações que vão contra o bom senso. Os caminhoneiros são a categoria de empresários brasileiros em maior volume e com melhor formação (muitos tem curso universitário). O capitão deu ouvido a eles.

Agora a patotinha do Leblon tem um plano de negócios para eles evidenciado na coluna da Claudia Safatle no Valor, contudo não se preocupam nem um pouco com um plano de negócios para o Brasil. Na agenda deles têm:

  • Manutenção da alta taxa de juro Selic (comprovado na última reunião do Copom)
  • 67 medidas para destravar o mercado de capitais gerando mais negócios para a Seita (endowment funds, hedge cambial, redução de tributação sobre inadimplência etc.)
  • Cortar financiamentos pelas instituições públicas para transferir aos bancos privados, mantendo o gargalo e as altas taxas de juro
  • Privatizar empresas para gerar caixa para pagar parte da dívida pública
  • Independência do Banco Central (tirando poder do Presidente intervir por questões sociais e políticas; como se ambas fosse irrelevantes e não democráticas)
  • Reforma fiscal

A Independência do Banco Central merece destaque porque é o maior golpe que estão aplicando em cima do Capitão Ignorante. O projeto estabelece direitos para o Banco Central, sem as devidas responsabilidades. Copiam os direitos do exterior, mas nem mencionam as responsabilidades que deveriam vir juntas. Patotinha totalmente desonesta:

  • Missão do FED é maximizar emprego com juro moderado, no Brasil fixaram minimizar inflação
  • Profissionais do FED são completamente independentes de instituições financeiras privadas. Têm carreira no governo ou em instituições de ensino. No Brasil eles vêm de bancos privados (Itaú, Bradesco, Santander…FEBRABAN)
  • Responsabilidade fiduciária e social dos dirigentes quanto aos interesses da população, minimizar juro para maximizar renda e emprego.
  • Responsabilidade fiscal dos dirigentes para minimizar juro maximizando poupança fiscal para investimento em infra-estrutura social

As batalhas contra a corrupção e a previdência vão indo muito bem. Moro já fez o projeto e está lidando agressivamente com o Congresso para avançar nesta agenda. STF Ilícito está sendo encurralado pela mídia e pelos outros poderes. Continuamos com progressos promissores. No caso da previdência também estão fazendo os enfrentamentos possíveis. Não é um assunto simples, deveria poder ser feito com mais calma, mas de uma forma ou de outra há progresso. Contudo estas realizações não impactam muito na satisfação da população tendo em vista a continuidade da frustração econômica.

A batalha que não está acontecendo é a do desemprego. A única esperança que tem aparecido nesta agenda vem com os artigos do André Lara Resende no Valor. André foi o cérebro por trás do Plano Real, no meio de 3 deseconomistas da Seita (Bacha, Franco e Arida). Suas pesquisas estão demonstrando que o juro exagerado desde a implantação do Plano Real detonaram com o país. Ele ficou bastante surpreso com as reações negativas de seus colegas de mercado a suas constatações, todas baseadas em dados concretos. André demonstra conhecimento e postura com responsabilidade fiduciária, social e fiscal para ser o Presidente de Honra do Banco Central. Vejam seu último artigo no Valor Razão e Superstição do Déficit.

O capitão é ignorante ou é inepto? As próximas semanas vão deixar isto claro. Tudo que a equipe do tchutchuca está fazendo vai continuar piorando a situação social. O amor do capitão está com o povo brasileiro, ou com a oligarquia financeira? O passeio de moto no Guarujá me deu esperanças.

A Ilusão Guedes

A função da Ciência Econômica é gerar riqueza (renda) com inclusão social. Este é o grande tema por trás dos trabalhos de Smith (criador da Economia: A Riqueza das Nações 1776) e Keynes (criador da Macroeconomia: Teoria Geral do Emprego 1936).

Quando um brasileiro viaja para o exterior para estudar, deve procurar abrir sua consciência para novos conhecimentos ao invés de ser doutrinado. Ciência busca a Verdade (VE-RI-TAS), o fato concreto, do que é melhor para a Humanidade. Não aceita doutrinação por religiões, seitas ou pensamentos obscuros.

Desde que Darwin descobriu a Origem das Espécies, desde que identificamos vários fósseis humanos com mais de 6.000 anos, Adão e Eva é claramente conto do vigário das religiões. O sacerdócio fica tentando manter seu poder de várias formas, mas que deus criou o mundo a partir de Adão e Eva não cola mais para qualquer ser humano minimamente científico.

Situação similar ocorre na área econômica. Desde Smith nenhum governo honesto com sua população pratica liberalismo irresponsável. Vendem liberalismo para outros países consumirem seus produtos, mas não vendem liberalismo para comprar produtos de outros países. Desde Keynes que nenhum governo honesto e bem informado pratica manipulação negativa de juro e câmbio em seus países. Estas funções são muito bem controladas pela sociedade sendo um desvio de 0,25% na taxa de juro para um ou outro lado razão para um grande debate.

Guedes foi estudar nos EUA para ser doutrinado. Ao invés de usar lógica em seus argumentos, lógica que demonstre geração de emprego e renda em nosso país, usa o nome da escola. “Se a escola apóia estes conceitos é porque é bom para o Brasil”. Inepto. Colador de respostas em provas. Não pensa com a própria cabeça. Por outro lado um sul-coreano bastante inteligente, que não foi doutrinado, Ha-Joon Chang escreveu um livro chamado Kicking Away The Ladder, demonstrando que o liberalismo de Smith foi usado para enriquecer a Inglaterra. Era uma linha de argumentação que permitia a Inglaterra enriquecer com os outros países comprando seus produtos industrializados. E HJC dá hoje aulas em Cambridge, berço de Keynes.

Liberalismo econômico por si só não é ruim. É ruim quando usado de maneira cega, como um dogma que não pode ser questionado, quando a real função objetivo de um governo deve ser maximizar a renda de seu povo com inclusão social. Nos aspectos que o liberalismo ajuda neste objetivo, deve ser implantado, onde atrapalha, não. Sejamos coerentes e equilibrados.

Liberalismo efetivamente atrapalha:

  • na ausência de planejamento e acompanhamento de uma visão para o país
  • na gestão da demanda agregada via câmbio competitivo e juro moderado
  • na definição de taxa de câmbio devido à doença holandesa,
  • na abertura de mercado sem ter taxa de câmbio competitiva,
  • na diminuição do papel do governo em áreas que a iniciativa privada não atua e são importantes para o futuro econômico do país

Enquanto o falso liberalismo de usar juro para distorcer inflação de mercado é um desrespeito ao laissez-faire já amplamente absorvido pela humanidade desde os fisiocratas na França e Adam Smith. Inflação se combate no controle fiscal das despesas do governo, incluindo nestas despesas o próprio juro, e nunca imprimindo papel moeda para cobrir déficit.

Neste contexto a área de Planejamento (incluindo Economia) deveria ter um foco claro na geração de emprego. Enquanto a missão do FED é maximização de emprego nos EUA, a missão de nosso BC é minimizar inflação a qualquer custo. É a missão do Guedes. É a missão que a oligarquia financeira impõe ao Brasil para manter o juro alto e a rentabilidade do setor deles.

Precisamos quebrar este vício enfrentando esta oligarquia. Não podemos fugir desta batalha. Vamos usar conhecimento, dados, lógica, a Verdade Macroeconômica e não dogmas econômicos falsos que prejudicam nossa comunidade.

Infelizmente Guedes é inepto e está mantendo o Brasil na direção errada.

 

Os Desafios de Bolsonaro: Oligarquias

Bolsonaro começa muito bem seu governo, antes mesmo da posse, fazendo um planejamento e processo de seleção de equipe profissional (Moro, Pontes, Generais etc.). Coragem, Meritocracia e Cidadania estão voltando a ser nossos valores e assim retomaremos o lema de Ordem e Progresso. Fim da Democracia Imperial Ilícita que tivemos desde 1985.

As ilicitudes declaradas em contratos com governo e estatais estão com os dias contados. Já tivemos uma boa limpeza no Executivo e no Legislativo nestas eleições. Ela deverá continuar nos próximos anos e passar a incluir o Judiciário da Impunidade, STF entre eles.

O desafio de JB estará em lidar com 4 oligarquias que prejudicam nosso desenvolvimento inclusivo: financeira, agronegócio, servidores públicos e sacerdócio.

A oligarquia financeira domina o debate macroeconômico nos jornais e nas instituições de ensino. Através de argumentos falsos, principalmente o combate à inflação, usam juro abusivo que restringem nosso potencial de crescimento e de geração de investimentos em infraestrutura social. Estimo em R$22 trilhões as perdas causadas ao país desde 1994. Tentei participar de debates na FGV/EESP e no Insper sobre os defeitos no tripé macroeconômico usado e os papers nem foram aceitos. Lara Resende escreveu artigo no Valor caracterizando o uso do juro no combate à inflação como ineficiente e ineficaz e foi fortemente atacado pela Seita dos Falsos Liberais Rentistas que dominam a mídia nacional. Em resumo, não há meritocracia e busca da Verdade no debate macroeconômico brasileiro.

Esta oligarquia líder vilã nacional está no coração do governo com o SuperInepto e SuperIlícito Paulo Guedes que já tentou:

  • Dar independência ao mais ilícito e inepto Banco Central do mundo
  • Controlar a Indústria “apesar do industriais brasileiros” para destruir de vez nosso processo de industrialização que já caiu de 22% do PIB para 11% com a abertura comercial irresponsável e levar o Brasil de volta para Colônia, traindo os ideais de Tiradentes.
  • Pegar o CADE para evitar a interferência da Justiça nas análises de concorrência que prejudicam os consumidores, em questões financeiras (juro), comerciais e industriais
  • Controlar a Agricultura para continuar com o pacto de juro exagerado para o país, mas subsidiado para o setor agrícola

PG, maçã podre perigosa, já está até com indícios de irregularidades éticas no relacionamento com investidores institucionais públicos. Os sinais não são bons, mas o importante mesmo é o que ele vai fazer com a demanda agregada nacional através do juro e do câmbio a partir de 01 de janeiro. Vamos aguardar para ver se entraremos em rota de crescimento ou em voo de galinha com possível Guerra Civil.

A oligarquia da agricultura, segunda em poder, com a maior bancada no Congresso (210) tem juro subsidiado (acordo com a financeira) e impostos reduzidos através da eliminação de ICMS, PIS e COFINS na exportação (Lei do Inepto Kandir). Não pagam os devidos impostos, utilizam em demasia nossa infraestrutura, geram poucos empregos sendo a maioria de baixo valor agregado, e ainda sobrevalorizam a moeda de maneira a inviabilizar nossa estrutura industrial. E aceitou ficar debaixo da Economia para continuar com este pacto maléfico para o país. Na verdade um pacto inepto para eles e para o país. Se tivéssemos um câmbio de competitividade econômica internacional de R$8,8, eles teriam mais lucro do que hoje, mesmo pagando 30% de imposto de exportação (que financiaria as melhorias de infraestrutura) e o juro de mercado (que deveria hoje estar em 2% + risco do negócio agrícola).

O Ministério da Produção deveria incorporar Indústria, Agricultura, Comércio Exterior e Trabalho, com foco em maximização de renda e emprego para todos os brasileiros. O Ministério da Economia deveria ficar com o foco de maximizar a demanda agregada nacional através de juro e câmbio, minimizar o custo financeiro e controlar o orçamento dos vários órgãos e entidades. O Planejamento precisa ficar próximo do Presidente para criar uma Visão de País (como o Brasil deverá ser daqui a 40 anos em termos de empregos, infraestrutura, inclusão social etc.) assim como analisar o impacto das ações das diversas áreas na vida dos brasileiros (eficiência de Pareto), mostrando os trade-offs que devem ser considerados em cada decisão.

A oligarquia dos servidores públicos tem remuneração acima da média do setor privado, não corre o mesmo risco ao ter estabilidade no emprego, está claramente corrompida como demostra a Lava Jato e constitui a segunda maior bancada no Congresso (132). Servidores públicos deveriam ser proibidos de legislar em causa própria. Não deveriam poder votar em qualquer lei que influencie seus interesses pela simples honra de respeito a situações de conflito de interesse com o país. Precisamos de princípios constitucionais que garantam que a remuneração de servidores públicos devem sempre ser 100% alinhadas com o setor privado em termos de valores, riscos e responsabilidade. Um bônus de desempenho para servidores públicos deveria poder remunerá-los tão bem quanto empresários para minimizar o custo do agente. O presidente de um país que cresce mais de 5% ao ano deveria ficar bilionário durante seu mandato.

A oligarquia do sacerdócio com inúmeros representantes no Congresso (82) garante que suas instituições não arrecadem tributos apesar de terem um dos negócios mais lucrativos existentes. Como que um negócio “religioso” não arrecada tributos que seriam usados para investimento na infraestrutura social do país? O negócio religioso é o que menos faz para os benefícios sociais do Brasil e usa seu poder econômico com isenção tributária para garantir seus interesses no Congresso.

Bolsonaro, Herói Nacional, venceu a FakeMídia e o poder dos ilícitos do PT, do PSDB e do Centrão. Conquistou o voto da grande maioria da Inteligência Brasileira (ensino fundamental completo) que tem bom discernimento. Traz consigo as Forças Armadas para fazerem parte do governo. Contudo está sendo constantemente assediado pelas quatro oligarquias que nos enfiaram no imbróglio atual. Brasil Acima de Tudo precisa ir muito além de neutralizar o PT. A Vós Confio!

 

 

Mito, Herói Nacional.

É importante reconhecer mérito em uma sociedade justa. A imagem que a mídia nacional transmitia para o meu subconsciente era de um “boçal”. Contudo observando o apoio de um profissional do calibre do general Mourão que desafiou as ilicitudes do STF, analisando a liderança absoluta de voto pelos brasileiros mais bem instruídos (ensino fundamental para cima) e de maior renda (acima de salário mínimo), e ainda surpreso com a manifestação #elenão de inúmeras e inúmeros figuras, pesquisei quem é Jair Bolsonaro.

Considerando princípios que “certo é o que dá certo, não o que parece certo” vide o sucesso do Mito, e “mais cabeças (Brasil) pensam melhor do que menos (a minha)” cheguei a conclusão que o Mito é um Herói Nacional, do patamar do Moro. Moro este que deveria ter se candidatado, mas preferiu deixar esta iniciativa para outros brasileiros. O Mito foi lá, levou a facada e está criando uma grande Revolução Democrática e de Cidadania no país. A História dele é de Coragem, Meritocracia e Cidadania, valores das Forças Armadas que moldaram a Nação.

  • Descendente de imigrantes italianos e alemães.
  • Aos 15 anos ajudou os militares a encontrar possíveis esconderijos do terrorista Lamarca no Vale do Ribeira.
  • Formado na Academia Militar de Agulhas Negras (AMAN) é artilheiro e paraquedista, o que significa fazer parte de uma elite dentro do Exército.
  • Liderou manifestação interna pela melhoria da remuneração dos militares, que estava muito baixa e causando a perda de inúmeros talentos. Demonstra aqui o espírito do Tenentismo de 1922, 24, 25-27 e 30 de luta contra injustiças que tirou o Brasil das mãos das oligarquias do café com leite e dos coronéis estaduais.
  • Migrou da carreira militar para ajudar o Brasil na política. Vereador pelo RJ e depois 7 mandatos de deputado federal. Tem 3 filhos e uma ex-esposa com carreira política. Envolve-se em importantes temas polêmicos que ferem os valores nacionais e cria uma campanha com o nome “Brasil Acima de Tudo; Deus Acima de Todos”
  • Líder absoluto no 1o turno com 46% dos votos válidos tendo entre seus eleitores os brasileiros mais bem instruídos e de maior remuneração, ou seja, a Inteligência Brasileira votou nele e já teria dado a ele a presidência no 1o turno
  • Foi o candidato com menos recursos financeiros e menor tempo de TV. Simplesmente não teve recursos para informar melhor os brasileiros mais pobres e menos instruídos. Contudo quase todo o recurso público de campanha, que estavam com o MDB/Centrão, PSDB e PT foram usados para denegrir sua imagem e só conseguiram obter 6% dos votos os dois primeiros grupos e 30% o terceiro.
  • Maior renovação do Congresso Nacional desde 1990 e de governos estaduais, tendo alguns candidatos com recorde de votos (p.ex. Janaína Paschoal e Eduardo Bolsonaro) e eliminação de inúmeros entres os principais ilícitos já conhecidos (Dilma, Jucá, Lindbergh, Eunício, Alckmin, Beto Richa, Requião, Perillo, Sarney Filho e Lobão)
  • Tudo isto sem composição por troca de cargos no Executivo nacional
  • Traz o General Mourão para a vice-presidência e com ele nossa Instituição adormecida desde 1985: As Forças Armadas.

Se morresse hoje já iria para nosso Pantheon junto com Tiradentes, José Bonifácio, Benjamin Constant, Floriano Peixoto, Affonso Penna, Getúlio Vargas, JK, Castello Branco, Costa e Silva, Médici e Moro.

Terá inicialmente 4 anos pela frente visto que vai acabar com a reeleição. Se focar em crescimento de 10% ao ano (padrão militar) e inclusão social para acabar com nossa miséria e maximizar o aproveitamento dos 210 milhões de cérebros brasileiros, o céu será o limite: Iluminado.

Tenho consciência que está começando com uma equipe econômica errada de maçãs podres, mas esperança de que o envolvimento de uma instituição como as Forças Armadas vão consertar este caminho no curto prazo.

Inspiração B17

O Mito e a Esperança

O Mito (Jair Bolsonaro) deverá ser nosso próximo Presidente. Esta é a vontade da consciência Brasileira composta pelos de maior escolaridade (ensino médio completo) e mais renda (acima de 2 salários mínimos). Os menos informados continuam apoiando ilícitos. Talvez ele ganhe já no primeiro turno com a influência de seus eleitores que são mais capacitados que os da concorrência. Com certeza ganhará no segundo quando tiver mais  tempo de mídia para expor seus valores que foram deturpados pelos opositores. Até hoje toda a verba pública de campanha ficou com os ilícitos de PT, PSDB, MDB e Centrão.

O Mito enfrentou o que tem de mais ilícito no país, pôs sua vida em risco e sofreu atentado covarde durante campanha. Não bastasse isto, os concorrentes aproveitaram suas artilharias na mídia, enquanto ele estava afastado no hospital ou em casa, tentando aumentar sua rejeição ao não poder se defender dos ataques. #EleNão foi o cúmulo da vergonha nacional com artistas tentando usar a imagem para prejudica-lo. O tiro saiu pela culatra ao estimular a pesquisa e o maior conhecimento sobre o candidato. Inúmeras mulheres passaram a apoia-lo.

Temos que tirar o chapéu porque ele conseguiu definitivamente invadir o território inimigo e trazer as Forças Armadas junto. O país certamente entrará em Ordem nos próximos meses, perspectiva que não tínhamos até alguns meses atrás. Talvez haja alguns soluços com revoltas da esquerda covarde, mas tudo muito simples para as Forças Armadas abafar rapidamente.

A dúvida que fica está no Progresso. O falso liberal Paulo Guedes não possui o perfil desenvolvimentista consistente de nossas Forças Armadas. Já fez vários elogios à equipe econômica atual, comandada pela oligarquia financeira, que causou R$20 trilhões de prejuízos à Nação desde 1994. Falam até em independência para o Banco Central e foco no controle da inflação. Um absurdo. A Esperança que resta é que a Meritocracia militar pode vir a questionar este modelo que não resolverá as questões de emprego e crescimento, e então fazer alterações para acelerar o crescimento. Taxa de crescimento para militares é 9% ao ano. Brasil Império e Democracia Liberal Ilícita (1985-2018) é de 2,6% ao ano.

Se não fosse o esforço das Forças Armadas o Brasil seria hoje um país de USD4.000/cap (PPC 2015), ao invés de USD15.500/cap. Pior que uma Bolívia. País agrícola. Chegaríamos neste ponto mantendo a taxa de crescimento de 2,6% ao ano do Império.

Os militares estabeleceram a República (Deodoro/Peixoto), lutaram contra as oligarquias estaduais e agrícola (Hermes, Revolução de 1922 e1924), entregaram o poder a Getúlio (1930), garantiram a posse de Juscelino (1965) e assumiram na época da desordem (1964) que não tínhamos líderes civis sólidos para segurar o rojão de desordem que vinha nos ameaçando. Ao abandonarem em 1985 retornamos ao domínio de oligarquias (financeira, agronegócio, servidores e sacerdócio) com taxa de crescimento do Império.

O que vem por trás do Mito são as Forças Armadas, reforçada pela presença do General Mourão na vice-presidência, trazendo Coragem, Meritocracia e Cidadania necessárias para restabelecer Ordem e Progresso no Brasil. Temos toda uma Instituição genuinamente nacional, não só um indivíduo corajoso com pouca estrutura de apoio. Uma vitória no primeiro turno fortaleceria bastante sua posição para implementar as mudanças que tem em mente. Levanta Soldado e Boa Sorte!

Brasil sem Perspectiva. Ação Popular contra Sistema Financeiro: R$22 trilhões

Nossa situação econômica e social continua muito ruim e sem perspectiva de melhora no médio prazo. Desemprego e violência. A principal causa disto tudo está associada à política macro-econômica que define a demanda agregada pelo trabalho brasileiro. Nenhum dos candidatos propõe algo realista para solucionar este problema.

Os ilícitos do MDB, PSDB e PT vão continuar o mesmo jogo com as mesmas promessas. Apesar de controlarem a maior parte dos recursos financeiros para as campanhas, acredito que nenhum deles ganhe. Os demais incluem um ex-militar, populista, que já escalou na área financeira um banqueiro da Seita dos Falsos Liberais Rentistas.

A Marina, confusa, apesar de honesta, escalou uma equipe econômica também confusa, burocrática, não voltada para crescimento. E o Ciro, único candidato que tem tido coragem para enfrentar o sistema financeiro, possui assessores birutas que não demonstram conhecimento técnico razoável para levar o país na direção da riqueza. São elementos que não sabem balancear planejamento com as forças do mercado. Parecem muito interventores com grande elemento de incompetência. Em resumo a situação está feia e o cenário mais provável está de manutenção do status quo, mas com menos corrupção.

Nos últimos 24 anos, desde a implantação do Plano Real em 1994, o sistema financeiro nacional composto por Copom, Banco Central e Febraban manipularam intencionalmente a taxa de juro (SELIC) brasileira na defesa de seus interesses em detrimento da geração de riqueza para a comunidade brasileira. Estimo que perdemos R$22 trilhões de reais, sendo R$4 trilhões desde 1994 quando nos enfiaram definitivamente na pior depressão voluntária criada na história da humanidade.

Neste contexto sem perspectiva, com grande intensidade de covardia nacional (militares, empresários, faculdades, mídia e jornalistas) só resta o caminho da Justiça via Ação Popular. Iniciamos a estruturação desta Ação na coluna à esquerda deste blog. Caso tenha dados concretos que corroborem nossa tese, ou a demonstrem incorreta, favor enviar para o email giuliani.edu@gmail.com.

Forças Armadas precisam impor a Democracia

Vamos parar de tapar o sol com a peneira. A situação está uma vergonha por qualquer ângulo que se olhe e a Ordem precisa ser imposta. Não podemos continuar esperando que do caos a Ordem apareça. Esta é uma obrigação das Forças Armadas, que têm demonstrado bastante covardia no último ano, culminando com o exemplo do comandante da Aeronáutica na semana passada criticando o Vilas-Boas publicamente. É covarde aquele que tem o poder para agir e não o faz. As ações necessárias são muito claras:

  • Destituir os 5 ministros do STF que votaram pelo HC do pixuleco e conduzir 5 novos ministros através de processo meritocrático como, por exemplo, no caso da PGR que faz lista eleita internamente (vetar qualquer atitude q fortaleça impunidade)
  • Destituir do poder todos os políticos no executivo e no legislativo que tenham menções significativas de ilicitudes, assim como juízes no poder judiciário
  • Destituir do Copom e do Bacen todos os profissionais com vínculos indiretos com o setor financeiro
  • Garantir eleições democráticas com forte controle no processo de comunicação de todos os candidatos para proteger a divulgação de informação honesta para a população decidir
  • Ajustar a Constituição em vários princípios para aumentar a responsabilidade dos cidadãos e cortar direitos que não são consistentes com o Bem para a maioria (p.ex. déficit fiscal). Impor objetivo claro de maximização de renda com inclusão social (educação, saúde, moradia e transporte).
  • Ajustar a remuneração de todos os profissionais do setor público para terem remuneração compatível com o setor privado, para cima ou para baixo, ajustado pelo fator de risco, liquidez e responsabilidade. Garantir que o político possa ficar rico honestamente, da mesma forma que um empresário.

As Forças Armadas são a única instituição nacional com valores patrióticos, ou seja, que põe a comunidade acima de si mesmo. Não é perfeita, mas é o melhor que temos, historicamente e estruturalmente.

Democracia (fazer o Bem para a maioria) não é um processo natural que os seres humanos no poder aceitam. Historicamente sempre o interesse próprio distorceu este processo. E é através de grandes conflitos contra ditadores, reis ou comunistas que se chega a ela: EUA, França, Inglaterra, Japão, Alemanha, China.

Não temos políticos e empresários comprometidos com a Democracia. Todos demonstram pura proteção dos interesses próprios. Chega. As Forças Armadas deixaram que esta baderna se instalasse no processo de “democratização”, já passou da hora de voltar para consertar os princípios que devem reger nossa sociedade: Ordem e Progresso. Os Inimigos internos estão muito mais danosos do que os externos: Estão todos no Poder.

Forças Armadas Realinhando para o Progresso

Comandante Mourão avisou. A Verdade da situação atual é inegavelmente complicada. A solução virá através das Forças Armadas. Não vejo outra saída realista, ou melhor para o Brasil, ou mais consistente com a nossa História. Vamos combater os tabus e entender as vantagens desta evolução.

As Forças Armadas são a instituição brasileira com direito de portar armas. Qualquer brasileiro pode servir. Os melhores sobem na hierarquia e viram generais. Defendem a Ordem e o Progresso. O ponto de união, o principal valor compartilhado, é o amor à Pátria. Dão a vida para defender o Brasil e estão ardendo na situação atual. Corrupção ali não se sustenta. O soldado é armado. Se o líder for mau exemplo, vai acabar morto.

Foram as Forças Armadas que nos libertou de Portugal, nos evoluiu do Império organizando a República e impediu o desenvolvimento do comunismo. Ignorância querer comparar nossas Forças Armadas com o caso de Fidel em Cuba, Chaves na Venezuela e outros ilícitos e ineptos de países mundo afora. A Instituição aqui é um de nossos orgulhos nacionais e foi exatamente seu distanciamento do poder que permitiu esta baderna atual.

O que a Verdade (o Bem para a maioria dos Brasileiros) nos traz pela frente:

  • Destituir quase todo o Executivo, pelo menos 70% do Congresso e pelo menos 4 membros do STF
  • Tirar do mercado financeiro o controle sobre a política macro-econômica (juro e câmbio)
  • Balancear direitos e responsabilidades na Constituição
  • Acabar com estabilidade no emprego dos funcionários públicos e criar sistema de remuneração compatível com o setor privado
  • Balancear a previdência
  • Priorizar investimentos em infra-estrutura social para beneficiar todos os Brasileiros
  • Eliminar tráfico de drogas e privilégios das religiões, incluindo isenção tributária, envolvimento no Congresso e dinheiro na cueca.

Nossas leis não permitem este tipo de ajuste e não temos líder civil para o desafio. Mesmo o bom gestor Doria está de namoro com o ilícito MT, é filiado a partido quase totalmente corrompido e está amarrado com o status quo do empresariado oportunista, incluindo nesta lista banqueiros e certos pastores evangélicos.

A única solução independente que nos resta está nas Forças Armadas. O que devemos esperar deles desta vez:

  • Rápido afastamento e punição dos ilícitos
  • Planejamento ordenado e competente da economia nacional
  • Envolvimento democrático de toda a população na formação de novas lideranças políticas incluindo forte monitoramento na transição para evitar novo retrocesso